Perfil

Ténis

Esperar até aos 30 anos para chegar a uns quartos de final de um torneio do Grand Slam? Magda Linette explica

A polaca, apenas número 45 mundial, bateu Caroline Garcia, a 4.ª do ranking, em dois sets, chegando pela primeira vez a uma fase tão adiantada de um major. Nunca é tarde para florescer e Linette tem-no feito nos grandes palcos

Lídia Paralta Gomes

Anadolu Agency/Getty

Partilhar

Se as apostas no início do Open da Austrália fossem atiradas por países, a bandeira da Polónia surgiria, certamente, nos quartos de final. Fosse por Iga Swiatek, a jovem número 1 mundial, com aquele travo de dominadora mas sempre com um asterisco, ou por Hubert Hurkacz, sólido 11.º do ranking masculino.

Ambos não passaram da quarta ronda, com maior surpresa para Swiatek, uma das favoritas ao título, mas a Polónia estará, sim, nos quartos de final do primeiro major do ano. Não com Iga, não por Hurkacz, mas sim por Magda Linette, a número 45 do mundo, que esperou até aos 30 anos para chegar tão longe num torneio do Grand Slam.

A destra, nascida em Poznan, bateu na quarta ronda de Melbourne a francesa Caroline Garcia, número 4 mundial, vencedora das finais da WTA no final da época passada, mas que continua com um registo pobre em torneios do Grand Slam. O triunfo fez-se em dois sets, 7-6(3) e 6-4.

“Não estou a acreditar”, atirou Linette no final do encontro, ela que até agora nunca havia passado uma terceira ronda de um dos quatro principais torneios da época. “Estou sem palavras, não sei o que o aconteceu”, continuou a tenista, que conta com apenas dois títulos WTA na carreira, e que, no entanto, assumiu a confiança que tinha num bom resultado, algo que sentiu “logo ao entrar no court”.

Profissional desde 2009, só em 2013 Magda Linette conseguiu vencer pela primeira vez um encontro num torneio WTA. Chegou ao top 100 em 2015 e os maiores sucessos numa carreira discreta têm acontecido já depois dos 25 anos. A polaca tem-se destacado nos grandes palcos nas últimas duas temporadas, com importantes vitórias frente a tenistas do top 10. Em 2021, ultrapassou a então número 1 mundial Ashleigh Barty na 2.ª ronda de Roland-Garros, vencendo o primeiro set antes da australiana desistir. No mesmo ano, mas em Wimbledon, a vítima foi Elina Svitolina, que era à data n.º 5 do mundo e caiu em dois sets também na 2.ª ronda.

Já no ano passado, infligiu uma traumática derrota a Ons Jabeur na 1.ª ronda de Roland-Garros, batendo a tunisina, que chegava como uma das maiores favoritas, em três duros sets. Agora, foi a vez de Caroline Garcia.

Nos quartos de final, Magda Linette terá pela frente a checa Karolina Pliskova, num Open da Austrália em que as surpresas se têm sucedido, tanto no quadro feminino como masculino. Das 20 primeiras cabeças de série do torneio, apenas três se mantêm no torneio: a norte-americana Jessica Pegula, 3.ª pré-designada e que surge como favorita depois da eliminação de Swiatek e Jabeur; a bielorrussa Aryna Sabalenka e a letã Jelena Ostapenko.