Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

A semana de sonho de Borna Coric: venceu o Masters de Cincinnati e subiu 123 posições no ranking

Em 2021, o tenista croata esteve praticamente o ano inteiro sem competir devido a uma lesão no ombro. Este domingo, conquistou o derradeiro torneio de piso rápido antes do arranque do US Open, conseguindo a maior vitória da carreira

Lusa

Matthew Stockman/Getty

Partilhar

O tenista croata Borna Coric, 152.º do ranking mundial, surpreendeu no domingo o grego Stefanos Tsitsipas, número sete da hierarquia, na final do Masters 1.000 de Cincinnati, no Estados Unidos, vencendo em dois sets.

Coric venceu pelos parciais de 7-6 (7-0) e 6-2, num encontro que durou uma hora e 58 minutos, impondo-se, na mesma semana, a dois atuais 'top-10', como são os casos de Rafael Nadal, terceiro colocado, e Tsitsipas.

É o terceiro - e o mais bem cotado - torneio que vence no circuito ATP, depois de uma prova 250 e outra 500, e o primeiro desde 2018, conseguindo a segunda vitória contra Tsitsipas, contra um triunfo do grego.

O croata de 25 anos, que prossegue a recuperação de uma cirurgia num ombro, em 2021, que o viu cair na hierarquia mundial do ténis masculino, selou o maior triunfo da carreira, a poucos dias do US Open, último Grand Slam da época e aquele em que se dá melhor, tendo ido aos quartos de final em 2020.

Por seu lado, Tsitsipas, de 24 anos, falhou a conquista do 10.º título da carreira, e o terceiro na categoria 1.000, a caminho do Grand Slam em que tem os piores resultados, nunca tendo avançado mais do que a terceira ronda.

Na final feminina, a francesa Caroline Garcia, 35.ª no ranking WTA, tornou-se a primeira mulher a vencer um torneio da categoria 1.000 em que entrou ainda no qualifying, culminando hoje essa ‘maratona’ frente à checa Petra Kvitova.

Mais cotada e com um maior palmarés, incluindo duas vitórias em Wimbledon, Kvitova era vista como favorita mas também no feminino a final de Cincinnati trouxe surpresa, com Garcia a superar a 28.ª jogadora mundial por 6-2 e 6-4.

Aos 28 anos, é o terceiro torneio desta categoria para Garcia, e o 10.º da carreira, apresentando-se no topo da forma em 2022 e, sobretudo, no verão, com 26 vitórias desde junho, o melhor registo mundial, a oito dias do US Open.