Tribuna Expresso

Perfil

Ténis

Wimbledon. Matteo Berrettini desiste após positivo à covid-19

O oitavo pré-designado era um dos jogadores a ter em conta para a vitória em Londres, mas é obrigado a abandonar o torneio ainda antes de jogar

Lusa

Simon M Bruty

Partilhar

O tenista italiano Matteo Berrettini, finalista vencido em 2021, anunciou esta terça-feira que foi forçado a desistir de Wimbledon, terceiro torneio do Grand Slam do ano, por ter testado positivo à covid-19.

"Estou devastado por anunciar que tenho de desistir de Wimbledon devido a um teste covid-19 positivo. Tive sintomas gripais e estive isolado nos últimos dias", escreveu o italiano, oitavo pré-designado, numa mensagem na rede social Instagram.

Berrettini referiu que, "apesar de os sintomas não serem severos", decidiu fazer mais um teste esta terça-feira para "proteger a saúde e a segurança" dos outros tenistas e das restantes pessoas envolvidas no torneio.

"Não tenho palavras para descrever o quão desapontado me sinto. O sonho terminou este ano, mas vou voltar mais forte", assegurou.

Atualmente na 11.ª posição do ranking mundial, Berrettini, que perdeu a final de 2021 para o sérvio Novak Djokovic, chegava ao All England Club em excelente forma, depois de conquistar os torneios de Estugarda e Queen's, igualmente em relva.

O italiano deveria jogar na primeira ronda com o chileno Cristian Garín e será agora substituído pelo sueco Elias Ymer, repescado depois de ter perdido na qualificação.

Berrettini é o segundo cabeça de série que se vê obrigado a abandonar Wimbledon devido à covid-19 nas últimas horas. O croata Marin Cilic também teve um teste positivo, o que possibilitou a entrada do português Nuno Borges no quadro principal.