Tribuna Expresso

Perfil

Portugal

Fernando, o centurião

O selecionador chega esta quinta-feira, contra a República Checa (19h45, RTP1), aos 100 jogos feitos com Portugal. É, de longe, o treinador com maior longevidade na seleção nacional e, comparado com as principais seleções europeias, apenas Didier Deschamps o supera

Diogo Pombo

Cristiano Ronaldo marcou 67 dos 117 golos que tem na seleção durante o reinado de Fernando Santos.

ILUSTRAÇÃO João Carlos Santos

Partilhar

A história marinada nas catacumbas do Stade de France, em Paris, inflacionou-se pelo simbolismo que viria a ter: acabados de ser derrotados (2-1) pela França, os jogadores da seleção nacional ouviram no balneário Fernando Santos dizer que dali a menos de dois anos estariam em folia pela conquista do Europeu, no mesmo estádio. A 11 de outubro de 2014 vimos Fernando Santos de pé, pela primeira vez, algures diante do banco de suplentes da seleção nacional, e a imagem virou uma tradição.

E já lá vão quase oito anos no cargo do engenheiro de eletrónica e telecomunicações virado treinador, de longe o maior pecúlio entre os 32 homens a quem já foi confiada a função de escolherem os melhores pontapeadores da bola de Portugal: há muito que os 74 jogos de Luiz Felipe Scolari (2005-2008) ficaram para trás, depois dos 49 de Carlos Queiroz (1991-1993 e 2008-2010) e dos 47 de Paulo Bento (2010-2013) serem ultrapassados.

  • 100 vezes Fernando Santos: a história do engenheiro na seleção nacional
    Expresso

    Fernando Santos alcança, esta quinta-feira, a centena de partidas feitas como selecionador de Portugal num percurso que começou em Paris, em 2016, e chega à marca redonda em Lisboa. São quase oito anos de trabalho com dois troféus conquistados e presença garantida em quatro fases finais. Este é o vídeo animado que resume o percurso do homem que deu os primeiros títulos à seleção nacional