Tribuna Expresso

Perfil

Futebol nacional

Artur Jorge: “Tivemos sempre o mérito de, mesmo em desvantagem, nunca deixar o adversário confortável. Mostrámos um grande caráter”

O treinador do Sp. Braga estava contente com o desempenho dos futebolistas, lamentou a novela Ricardo Horta e explicou o que procura: "Ter toda a gente comprometida, toda a gente disponível para dar o seu melhor, seja em 90 minutos ou 5"

Expresso

DeFodi Images

Partilhar

Três vezes em desvantagem

“Em termos do que foi a atitude que pusemos em jogo, claramente que sim [estou agradado]. Acho que assistimos a uma grande partida de futebol, muito viva, com duas equipas a quererem ganhar. Tivemos sempre o mérito de, mesmo em desvantagem, nunca deixar o adversário confortável. Mostrámos um grande caráter, uma identidade que eu quero que seja a do Sp. Braga. Demos aqui uma resposta muito positiva, tendo em conta que jogámos frente a um rival, também com muita e grande qualidade. Pudemos mostrar o que valemos, a nossa grande capacidade e que, com esta atitude e comportamento, vamos estar seguramente sempre mais perto de ganhar.”

Oportunidades de golo

“É importante referirmos que tivemos essas oportunidades porque trabalhámos imenso para elas. Temos vindo a tentar criar aqui dentro uma ideia que é nova, tendo em conta a minha chegada cá. Aquilo que procuramos fazer é ser competitivos e competentes em todos os jogos. Acho que fomos hoje muito competitivos, nem sempre competentes, mas acabámos por ter aqui a oportunidade de ter um ponto somado frente a um rival como disse. Na segunda parte, o jogo acabou por se partir e tivemos mais oportunidades, face também à nossa entrega e vontade de ganhar. Tínhamos a vontade de ganhar este jogo para premiar os nossos adeptos.”

Entradas de Abel Ruiz e Álvaro Djaló

"Quando preparei essa mudança, estávamos empatados 2-2, portanto ia fazê-lo no sentido de ter mais objetividade e ser mais rápido e conseguir vencer o jogo. Fui atrás do 3-2. Quando ficámos em desvantagem, não mudei rigorosamente nada, porque tínhamos de fazer golo para não perder. Foi isso que aconteceu, fomos felizes com essa substituição, mas acima de tudo com o mérito dos que entraram, que acrescentaram sempre valor, acrescentaram qualquer coisa à equipa. É isso que procuramos: ter toda a gente comprometida, toda a gente disponível para dar o seu melhor, seja em 90 minutos ou 5.”

Último jogo de Ricardo Horta?

“Não tenho essa informação. O Ricardo fez mais bom um jogo, vamos ver o que vamos ter. É uma novela que se tem prolongado, tenho alguma pena que se continue a falar do Ricardo e menos do Sp. Braga. Acho desconfortável para a própria equipa. Tivemos aqui um jogo importante e os destaques dos jornais era falar sobre o Ricardo. Nós, enquanto equipa, merecemos mais respeito para que possamos ser valorizados enquanto coletivo e não apenas e só por um jogador, ou um belíssimo jogador que temos no plantel.”