Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

“Vai ficar na história”. Corinthians de Vítor Pereira iguala feito do Santos de Pelé e elimina Boca Juniors da Taça Libertadores

Foi apenas a segunda vez que a Bombonera viu uma equipa brasileira eliminar o Boca Juniors. Antes dos comandados de Vítor Pereira, apenas Pelé e o seu Santos tinham conseguido fazê-lo, em 1963. Seguem-se os quartos-de-final da competição de clubes mais importante da América do Sul

Expresso

JUAN MABROMATA/Getty

Partilhar

“É uma vitória que vai ficar na história”, disse Vítor Pereira, depois de eliminar, na Argentina, o Boca Juniors. Chegados ao drama das grandes penalidades com o marcador a zero, os brasileiros conseguiram levar de vencida a equipa da casa por 6-5, naquela que foi apenas a segunda vez que um clube do Brasil eliminou o Boca no mítico estádio Bombonera, em Buenos Aires. Até agora, apenas o Santos, com Pelé a brilhar, tinha conseguido o feito, em 1963.

Na madrugada de quarta-feira, a equipa comandada pelo técnico português apurou-se para os quartos-de-final da Copa Libertadores. Vítor Pereira destacou a atitude coletiva: "O espírito [da equipa] muitas vezes supera as dificuldades. Temos muitos jogadores de fora. Mesmo com tantas dificuldades, não nos apoiámos nelas, chegámos aqui e lutámos até ao último minuto”.

O antigo treinador do FC Porto admite que não consegue festejar, na sua mente já só vive o próximo jogo. "Acabámos de ter uma grande conquista. Mas, sinceramente, já estou preocupado com o Flamengo, daqui a uns dias. Com os jogadores que tenho de fora, (…) vamos ter de pensar para competir. (…) Não temos tempo aqui. Com este calendário não é possível desfrutar", desabafou o português.

No Brasil, o resultado foi recebido com natural felicidade. O "GloboEsporte" fala numa “partida heroica” do Corinthians, “remendado e com os ‘miúdos’ de Vítor Pereira”. Desfalcada, a equipa de São Paulo acabou por ter de sacrificar o ataque na maior parte do tempo. Nas grandes penalidades, a concentração foi fator-chave. O jornal “O Liberal” elegeu o guarda-redes Cássio como herói da noite.