Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Três adeptos do Boca Juniors presos por imitarem macacos e fazerem gesto nazi no jogo frente ao Corinthians

Dois dos indivíduos dirigiram gesto racista aos adeptos brasileiros e terão de pagar uma fiança de cerca de 30 mil euros. Quanto ao terceiro elemento, autor da saudação nazi, é acusado de incentivo ao crime, que não é passível de fiança segundo a justiça brasileira

Expresso

Alexandre Schneider/Getty

Partilhar

Três adeptos do Boca Juniors, da Argentina, foram presos por atitudes racistas durante o jogo que opôs a sua equipa aos brasileiros do Corinthians, a contar para os oitavos de final da Taça Libertadores, esta terça-feira. Dois dos indivíduos terão feito um gesto racista na direção dos adeptos da casa. O terceiro elemento fez a saudação nazi.

Segundo a polícia brasileira, citada pelo Globoesporte, dois dos argentinos foram filmados a imitar macacos, dirigindo-se claramente aos adeptos do Corinthians. Esses terão de pagar uma fiança de aproximadamente 30 mil euros. Quanto ao autor da saudação nazi, que chegou a argumentar que estava a mandar beijos aos adeptos adversários, é acusado de incentivo ao crime, o que, de acordo com a lei brasileira, não é passível de fiança.

Outras quatro pessoas ligadas ao mítico clube argentino foram filmadas em atitudes provocatórias. Três foram detidas e, horas mais tarde, libertadas. A outra, também autora de gestos racistas, não foi encontrada pela polícia.

Não é a primeira vez que adeptos do Boca são detidos em São Paulo por causa de atos racistas. Recentemente, na primeira fase da Libertadores, um argentino foi preso depois de imitar um macaco na bancada do estádio. Em maio, na Argentina, foram vários os adeptos da casa filmados a imitar macacos. O Boca Juniors foi multado pela Conmebol em 95 mil euros devido à atuação dos seus aficionados.

Depois das atitudes verificadas esta terça-feira, o Corinthians emitiu um comunicado em que “repudia veementemente os atos racistas que envolveram adeptos argentinos na Neo Química Arena”. O clube brasileiro informa que os indivíduos em questão foram levados para a esquadra do estádio.