Tribuna Expresso

Perfil

Bruno Vieira Amaral

Bruno Vieira Amaral

escritor

  • A hora dos adjuntos (ou o elogio a essas figuras secundárias que dão uma bem-vinda impressão de normalidade e sensatez)
    Crónica

    No clássico da próxima quinta-feira, quem estará no banco não será Jorge Jesus nem Sérgio Conceição, mas sim os seus adjuntos João de Deus e Vítor Bruno, que este fim de semana lideraram as equipas em goleadas expressivas. E Bruno Vieira Amaral fala de como por vezes é necessário aos jogadores terem "uma voz apaziguadora, um bombeiro emocional para os incêndios que os superiores teimam em atear"

    Bruno Vieira Amaral

  • Um furacão controlado e um Benfica - Sporting visto à luz da sabedoria de Gandhi
    Crónica

    Bruno Vieira Amaral ouviu Jorge Jesus citar Gandhi na última semana e é com frases do próprio (ou que podiam ser) fala-nos de um dérbi em que o Sporting foi um aparelho que lançou rajadas regulares e cirúrgicas de vento contra o guarda-chuva precário de Jorge Jesus, uma equipa de criações do laboratório do professor Amorim, feita de organismos taticamente melhorados

    Bruno Vieira Amaral

  • O príncipe espontâneo e a podridão em direto
    Crónica

    Bruno Vieira Amaral escreve-nos esta semana em duas partes: primeiro sobre Rúben Amorim e um Sporting que é um clube, e não apenas uma equipa, cada vez mais à imagem do treinador: serenamente ambicioso, metódico sem ser frio, sensato e contundente. Depois sobre o triste espectáculo ao vivo do Jamor no sábado, que mostra de forma até cruel a incompetência de quem dirige a “indústria” do pontapé na bola

    Bruno Vieira Amaral

  • O fantasma de Sir Alex Ferguson
    Crónica

    Solskjaer foi sempre mais um adereço de um ritual esotérico do que um treinador. Ele seria o homem capaz de devolver o “espírito de vitória” ao Manchester United. Porquê? Ora, porque estava lá quando o clube ganhava, escreve Bruno Vieira Amaral. Qualquer recitação, liturgia ou segredo da mística seria do conhecimento dele. Ele só teria de fazer descer o espírito sobre o balneário e mandar os jogadores para o campo, imbuídos dessa presença inexplicável. O resto aconteceria por deliberação cósmica

    Bruno Vieira Amaral

  • A pergunta a que Fernando Santos não respondeu
    Crónica

    Sim, vamos estar no Mundial do Qatar, acredita Bruno Vieira Amaral. E, uma vez lá chegados, Portugal passará a primeira fase e, depois, assim que enfrentar uma seleção decentemente organizada, como o Uruguai, a Bélgica ou a Sérvia, será recambiado para Lisboa, não sem ter direito, pelo meio, aos devaneios místico-supersticiosos do selecionador que ainda no domingo, à pergunta concreta sobre os motivos pelos quais fruta de tanta qualidade dá um sumo tão amargo, fez um silêncio pinteriano, encolheu os ombros, torceu os lábios e respondeu com uma pergunta: “o que é que eu vou responder?”

    Bruno Vieira Amaral

  • A seca de Paulinho, os desmaios de Taremi e a previsibilidade do Benfica
    Crónica

    Quando o adversário não lhe concede cavalheirescamente os espaços de que tanto necessita, o futebol do Benfica consegue ser mais previsível, e muito menos divertido, do que os falhanços de Paulinho à boca da baliza e do que as extravagantes quedas de Taremi na grande área, escreve Bruno Vieira Amaral, que abordou o desacerto "que já não escandalizam ninguém" do avançado do Sporting e a aparente corrida em que o seu homólogo do FC Porto parece estar "pelo Nobel da Paz ou pelo prémio Sakharov"

    Bruno Vieira Amaral