Tribuna Expresso

Perfil

Atualidade

Cristiano Ronaldo advertido pela polícia de Liverpool pelo incidente em que atirou ao chão o telemóvel de um jovem adepto do Everton

A caminho do túnel de acesso aos balneários, o internacional português terá dado uma palmada no telefone de um adepto do Everton, o clube que acabara de vencer o United, naquela 32.ª jornada da Premier League do ano passado. Cristiano pediu desculpas na altura, mas a polícia abriu mesmo uma investigação: "A situação foi resolvida com uma advertência condicional"

Expresso

Martin Rickett - PA Images

Partilhar

A história remonta a 9 de abril quando, em Liverpool, o Manchester United perdeu contra o Everton, no Goodison Park, num jogo a contar para a 32.ª jornada. Cristiano, que não fez qualquer golo e que ainda sofreu uma entrada muito dura (a perna ficou marcada), deu uma palmada no telefone que estava na mão de um adepto dos toffees quando caminhava para o túnel de acesso aos balneários.

A seguir, nas redes sociais, Cristiano Ronaldo pediu desculpa: "Nunca é fácil lidar com as emoções em momentos difíceis como o que estamos a enfrentar. No entanto, temos sempre de ser respeitosos, pacientes e dar o exemplo a todos os jovens que amam este desporto tão bonito. Gostaria de pedir desculpa pela minha explosão e, se possível, gostaria de convidar este adepto a assistir a um jogo em Old Trafford como sinal de fair-play e desportivismo”.

Em declarações à Sky Sports, a mãe de Jake, o adepto em questão, de apenas 14 anos, recusou o convite. “Agiu como se lhe devêssemos um favor, mas, sinto muito, não devemos. Recusamos gentilmente a oferta de ir ver o United porque o Jake não quer ir lá e não quer ver o Ronaldo”, disse Sarah Kelly.

Mas a história não se ficou por aí. Naquela tarde, a polícia de Merseyside anunciou que tinha aberto uma investigação à alegada agressão de Cristiano. A conclusão dessa história soube-se esta tarde.

Martin Rickett - PA Images

"Podemos confirmar que um homem de 37 anos compareceu voluntariamente e foi interrogado quanto a uma alegação de agressão e danos criminais. A situação foi resolvida com uma advertência condicional. O assunto está agora concluído", pode ler-se no comunicado daquela polícia.

Cristiano tem vivido tempos conturbados nesta segunda passagem pelo Estádio Old Trafford, numa altura em que a equipa não joga a Liga dos Campeões e que ele supostamente quer abandonar o clube. O futebolista português prometeu contar, nas próximas duas semanas, toda a verdade numa entrevista que servirá para destapar todas as mentiras que a imprensa tem escrito, avisou.

Gary Neville, outra lenda do Manchester United, pediu nas últimas horas ao ex-companheiro para antecipar essas declarações. “Porque é que o maior jogador de todos os tempos (é a minha opinião) tem de esperar duas semanas para contar a verdade aos adeptos do Manchester United? Levanta-te e fala agora”, escreveu o ex-futebolista e comentador no Twitter.

E acrescentou: “O clube está em crise e necessita que os líderes liderem. Ele é o único que pode agarrar esta situação pelo pescoço”.

Na próxima segunda-feira, o Manchester United, em último lugar da Premier League, com duas derrotas em duas jornadas, vai receber o Liverpool, no Teatro dos Sonhos (20h, Eleven Sports1).