Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Recordista africano dos 100 metros não vai aos Mundiais de atletismo. A razão: os EUA não lhe deram um visto

Ferdinand Omanyala é queniano e tem o melhor tempo da história de um velocista nascido em África a correr os 100 metros. Mas, ao que parece, não competirá nos Mundiais de atletismo, que arrancam esta sexta-feira, em Oregon, porque o governo dos EUA ainda não lhe concedeu um visto de entrada no país

Lusa

YASUYOSHI CHIBA/Getty

Partilhar

O velocista queniano Ferdinand Omanyala, recordista africano dos 100 metros, disse hoje que vai desistir de participar nos mundiais de atletismo por ainda não ter obtido o visto necessário para os Estados Unidos.

As declarações de Omanyala foram feitas à agência de notícias France-Presse, na véspera do início da competição em Eugene, Oregon, nos EUA.

"Estou a desistir da minha viagem ao Oregon. Mesmo que eu receba um visto hoje, é demasiado tarde", disse o atleta de 26 anos.

"Acabou. Não há nada que eu possa fazer. Este foi o dia mais longo de espera [na minha vida] e eu não gosto de esperar", acrescentou.

Na quarta-feira de manhã, o queniano escrevera nas redes sociais que ainda estava à espera do visto.

"Aguardamos com expectativa que a embaixada dos EUA emita vistos para um certo número de atletas, incluindo Omanyala. Espero que possam voar hoje [quarta-feira]", disse então Barnabas Korir, membro do comité executivo da Federação Queniana de Atletismo à AFP.

Parte da equipa voou para os Estados Unidos na terça-feira.

Omanyala estava entre os candidatos ao pódio nos 100 metros nestes mundiais.

Nos Jogos Olímpicos de Tóquio, no verão passado, foi o primeiro atleta do Quénia, um país conhecido pelos corredores de longa distância, a alcançar uma semifinal olímpica de 100 metros.