Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

Tiger Woods critica colegas que trocaram a PGA Tour pelo LIV, circuito financiado pelo dinheiro saudita: “Viraram as costas”

A lenda do golfe falou antes do 150º British Open, em St. Andrews, na Escócia, considerada a Meca da modalidade. Woods mostrou-se muito crítico em relação àqueles que cederam ao maior poderio financeiro do novo projeto

Expresso

Keyur Khamar/getty

Partilhar

Tiger Woods aproveitou a presença em St. Andrews, na Escócia, considerada a Meca do golfe, para criticar os colegas que trocaram a PGA Tour pela LIV, financiada pela família real saudita e claramente mais poderosa, financeiramente falando. A lenda da modalidade prepara a participação no 150º British Open, um dos majors da temporada.

Na terça-feira, o golfista usou a conferência de imprensa para deixar bem clara a sua visão: “Acho que o que eles fizeram foi virar as costas ao que lhes permitiu chegar àquela posição”. Não foi a primeira vez que Woods deu a entender que continuará do lado da PGA. Mas esta será a primeira prova em que o norte-americano competirá depois de mais de 20 jogadores terem optado pela LIV Golf Invitational Series.

Questionado por um jornalista, Tiger Woods afirmou que a liga patrocinada pelos sauditas não é positiva para o desenvolvimento do jogo ou para as carreiras competitivas dos golfistas: “Alguns jogadores nunca tiveram hipótese de experienciar [a PGA Tour]. Foram diretamente dos níveis amadores para essa organização e nunca puderam jogar aqui e ver o que significa”.

“Quem sabe o que vai acontecer no futuro próximo com os pontos do ranking mundial, os critérios para entrar nos principais opens. O organismo tutelar vai ter de resolver essa questão,” disse Woods, insistindo: “Alguns desses jogadores podem nunca ter a oportunidade de jogar num dos principais opens. É uma possibilidade. (…) Cabe aos principais reguladores da modalidade determinar isso”.

Para a lenda do golfe, o mundo do desporto está a passar por algo diferente do que aconteceu em 1968, quando um grupo de jogadores liderado por Jack Nicklaus e Arnold Palmer, deixou a PGA americana para fundar a PGA Tour. “Porque jogar golfe profissional ao nível da Tour é diferente de ser profissional num clube, e compreendo essa transição”, sublinhou. “O que estes jogadores estão a fazer por dinheiro no bolso, qual é o incentivo à prática? Qual é o incentivo para ir lá para fora e ganhá-lo com esforço? Estás apenas a receber muito dinheiro a priori e a jogar alguns eventos”, considera Woods, citado pelo Golf Channel.