Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Numa bela tarde de Palhinha, Liverpool não passa no Craven Cottage

Dois golos de Mitrovic e outros tantos de Darwin e Salah ditaram o primeiro empate da Premier League. João Palhinha foi um dos melhores jogadores em campo no Fulham-Liverpool, em Londres

Hugo Tavares da Silva

Jacques Feeney/Offside

Partilhar

A primeira parte foi de loucos. O ritmo imposto pelo Fulham, de Marco Silva, deixou o gigante de Liverpool desconfortável. Thiago teve pouco tempo para pensar em travessuras, Mo Salah e Roberto Firmino idem, então sobrou o atrevimento de Luis Díaz, um caso dos mais sérios que há no futebol. João Palhinha foi tremendo no meio-campo, sobretudo na primeira parte, bloqueando e mordendo tudo o que tentava ferir a baliza de Marek Rodák.

O duelo da tarde estava entregue a Virgil van Dijk e Aleksander Mitrovic (solidário e super combativo), dois pesos pesados que não são nada maus de bola. O avançado ganhou a contenda, com um golo de cabeça (ainda que disputou lance com Arnold), aos 32’, e depois sacando um penálti ao defesa neerlandês, convertendo-o depois em 2-1, numa altura em que os caseiros iam sofrendo um pouco. Nesta altura já Darwin Núñez estava em campo, com a sua fúria gentil habitual. O uruguaio fez o 1-1, depois de um lance algo fortuito.

Thiago saiu lesionado. Salah começou a crescer no segundo tempo, em que o ritmo era mais calmo, e já ia ameaçando a felicidade dos adeptos do Craven Cottage, um mítico estádio que agora tem uma bancada em remodelação. Os laterais do Liverpool, Trent Alexander-Arnold e Andy Robertson, não estavam tão influentes como costumam ser, a alma dos rapazes da casa era imensa, correram como leões, liderado por um especialista em rugidos, João Palhinha. Andreas Pereira, o internacional brasileiro ex-Flamengo, mostrou muita qualidade, nada de novo.

Matthew Ashton - AMA

Marco Silva, que avisara numa entrevista na véspera que estava melhor treinador, só fez uma substituição: trocou Neeskens Kebano – quem sabe filho de alguém muito adepto da seleção neerlandesa dos anos 70 – pelo israelita Manor Solomon, ex-Shakhtar. Do outro lado, de vermelho, entrou Fábio Carvalho, uma das figuras do Fulham na época passada, pelo mais apagado Luis Díaz, que tratará de ser uma das figuras da Premier League.

O golo do empate surgiu finalmente aos 80’, por Salah, depois de uma receção infeliz/assistência, já na área, de Núñez. Apesar dos rumores de uma reviravolta, ela não chegou e, no fim, os dois treinadores trocaram um aperto de mão.

O Liverpool começa assim a Premier League a perder dois pontos, que mais à frente serão preciosos como a água da chuva. O festivo e sedutor Arsenal começou a época a vencer, no campo do Crystal Palace de Patrick Vieira, por 2-0. O Manchester City inaugura a defesa do título de campeão nacional no domingo, no campo do West Ham (16h30, Eleven Sports 1).