Tribuna Expresso

Perfil

Fórmula 1

Foi no meio do chuvoso verão britânico que o smooth operator espanhol Carlos Sainz conquistou a primeira pole de sempre

Piloto da Ferrari vai estrear-se na frente da grelha depois de surpreender em Silverstone, ao conseguir o melhor tempo na qualificação para o GP Grã-Bretanha. Verstappen (Red Bull) e Leclerc (Ferrari) seguem-se ao espanhol

Lídia Paralta Gomes

Clive Rose/Getty

Partilhar

Mesmo que o calendário aponte julho no mês, verão na estação, em Silverstone os pilotos terão sempre de estar preparados para os humores meteorológicos. E se este sábado o terceiro treino livre havia sido corrido em seco, as novas previsões apontaram chuva para a qualificação do GP Grã-Bretanha, com uns poucos simpáticos 15 graus de temperatura do ar.

E foi alguém pouco habituado a ela, à chuva, leia-se, que acabou por surpreendentemente brilhar no final. Não por não ter carro para isso, porque nas mãos tem um Ferrari, mas praticamente durante toda a sessão Carlos Sainz andou como que desaparecido, espanhol que é espanhol não aprecia chuva e o piloto madrileno parecia perdido até tirar da cartola uma volta quase perfeita à derradeira tentativa, que lhe deu a primeira pole position na carreira, ao 151 grande prémio.

Foi como “um smooth operator”, como lhe disse o seu mecânico no final, munindo-se da alcunha que deram a Sainz ainda nos tempos da McLaren, quando sem que praticamente ninguém notasse engatilhava bom resultado atrás de bom resultado. Esta segunda temporada na Ferrari tem sido feita de algumas sombras e menos luzes do que estaria à espera, entre azares, erros e a própria falta de fiabilidade da Ferrari. Uma pole em Silverstone será seguramente um dos momentos altos de 2022 para o espanhol, que pareceu tão surpreendido quanto quem assistia à qualificação. "Não esperava nada, senti-me terrível na pista", confessou, ainda no carro.

Ao lado de Sainz partirá o líder do campeonato, Max Verstappen (Red Bull), que parecia o piloto mais à vontade com as condições da pista britânica, com a chuva a aparecer e a desaparecer de um momento para o outro, nunca deixando o asfalto secar. Mas nos minutos finais do Q3 o neerlandês atrapalhou-se, fez um pião e na última tentativa errou, não conseguindo bater o Ferrari número 55. O outro carro da escuderia italiana, de Charles Leclerc, vai partir de 3.º, numa qualificação positiva para Lewis Hamilton que sairá de 4.º, mas deixando já o aviso que o desempenho poderia até ter sido melhor, denotando as melhorias no Mercedes.

De resto, a qualificação ficou ainda marcada pela presença inusitada de Nicholas Latifi (Williams) no Q3, beneficiando também do aumento da chuva no final do Q2. Os dois Aston Martin, equipa cuja sede é a dois passos do circuito de Silverstone, desiludiram, ao quedarem-se pelo Q1.

O GP Grã-Bretanha terá início no domingo às 15 horas de Portugal Continental (Sport TV4).