Perfil

Benfica

Roger Schmidt: “Estamos desiludidos e frustrados. Esta experiência vai ajudar-nos a crescer”

O treinador do Benfica disse que há que “aceitar” a derrota, após o 1-0 sofrido pelo Benfica em Chaves, que colocou os encarnados à mercê de verem a vantagem no topo do campeonato reduzida para quatro pontos

Expresso

Octavio Passos/Getty

Partilhar

A análise ao jogo

“Não marcámos, é muito simples. Neste tipo de jogos, quanto tentas encontrar soluções no terço ofensivo e com o adversário a defender com muitos jogadores atrás da linha da bola, tivemos isto em vários jogos da época e arranjámos sempre soluções. Não conseguimos marcar e o futebol, às vezes, é assim, quando não marcas o adversário acredita sempre e tenta marcar. Temos que aceitar que eles ganharam o jogo.”

Estamos muito desiludidos e frustrados, a equipa colocou muito esforço no jogo. Não estaríamos felizes por empatar e, no último minuto, sofremos um golo e perdemos.”

João Mário e Gonçalo Ramos saíram na 2.ª parte

“Estavam cansados, deixei-os durante muito tempo em campo porque já marcaram muitos golos esta temporada, mas precisávamos de mais energia no campo. Fizemos substituições porque quando se está fresco, a probabilidade de marcar é maior.”

As três derrotas seguidas

“Quando perdes, claro que há muito ruído à volta da equipa e do Benfica, mas isso é algo que conhecemos, temos que nos manter juntos. Esta experiência pela qual estamos a passar vai ajudar-nos a crescer. Esta equipa já mostrou em que tem uma grande atitude.”

O descontentamento dos adeptos

“Não estamos contentes com isso, mas os adeptos podem fazer o que quiserem, muitos apreciam o que temos feito esta época. Já jogámos futebol fantástico, ainda estamos em 1.º lugar, é normal que estejam desiludidos, mas, na próxima semana, queremos dar-lhes uma vitória.”

  • O ocaso do Benfica é real
    Crónica de Jogo

    Um erro de Otamendi, no último minuto dos descontos, originou a derrota (1-0) do Benfica em Chaves, mas o sacrilégio da terceira derrota seguida da época não mora sozinha no defesa argentino: a equipa de Roger Schmidt atabalhoou-se a cometer erros atrás de erros, jogando sem plano para desmontar um adversário que montou um bloco perto da sua área. Com sete jornadas por disputar, o FC Porto pode reduzir para quatro pontos a liderança dos encarnados no campeonato