Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

SAD do Benfica renuncia para entrar nova administração. Não há destituições por justa causa

Miguel Moreira e José Eduardo Moniz, membros da administração da SAD do Benfica que não ficam com Rui Costa, apresentaram renúncias do mandato anterior com os restantes elementos. Nova equipa pode ser eleita a 6 de janeiro

Diogo Cavaleiro

Partilhar

Todos os membros dos órgãos sociais da SAD do Benfica (conselho de administração, mesa da assembleia-geral e conselho fiscal) apresentaram as demissões ao mandato que estava em curso e que iria até 2024. Não terá, por isso, de haver destituições dos nomes que não foram escolhidos para o próximo mandato, possibilidade aberta há uma semana.

A informação foi dada pela Benfica SAD à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), referindo as renúncias dos membros destes órgãos, cujos mandatos iam até junho de 2024. Como houve eleições antecipadas no Benfica, acionista maioritário da SAD, Rui Costa mostrou intenção de remodelar a equipa da SAD antes da data esperada.

Para isso, o clube agendou a assembleia-geral de 6 de janeiro com a recomposição dos órgãos sociais na ordem de trabalhos, numa convocatória que dizia que a entrada em funções dos novos órgãos sociais estava dependente da renúncia dos anteriores ocupantes dos cargos. No caso da administração, dizia que a eleição para o novo mandato (2021/2025) poderia vir a ser “precedida, se necessário, de destituição sem justa causa dos membros do conselho de administração, que oportunamente não renunciem ao respetivo cargo”.

Já no comunicado desta segunda-feira, 20 de dezembro, fala-se apenas em renúncia e, no caso da administração, todos os elementos do mandato em curso a apresentaram: Rui Costa, Domingos Soares de Oliveira, José Eduardo Moniz, Miguel Moreira e Sílvio Cervan. Destes, só os dois primeiros permanecem na nova administração. Sílvio Cervan permanece na direção do clube, mas Moniz e Moreira nem por isso. Não há qualquer referência a destituição sem justa causa neste comunicado, apenas à renúncia conjunta.

No conselho fiscal e na mesa da assembleia, também renunciaram todos os elementos que compõem estes órgãos.

Rui Costa, Domingos Soares de Oliveira, Luís da Silva Mendes, Manuel de Brito, Maria Gabriela Câmara Pestana e Maria do Rosário Correia fazem parte da administração proposta a 6 de janeiro.