Tribuna Expresso

Perfil

Sporting

Rúben Amorim e o período menos eficaz de Pote: “O Pedro Gonçalves é um jogador que, para o bem e para o mal, não pensa muito nas coisas”

Na conferência de imprensa de antevisão da deslocação ao terreno do Casa Pia (quarta-feira, 22, 20h45, TVI), nos oitavos de final da Taça de Portugal, o técnico do Sporting não se mostrou muito preocupado com o momento de Pote, que vem de seis jogos seguidos sem marcar. Sem revelar quem baterá o próximo penálti dos leões - após Pedro Gonçalves ter falhado dois -, Amorim não escondeu que regressará a um lugar "muito especial" e avisou que, se a equipa não encarar a partida com "intensidade e seriedade", pode "não ultrapassar a eliminatória"

Tribuna Expresso

MANUEL FERNANDO ARAUJO/LUSA

Partilhar

Expectativas para o jogo

"Esperamos um jogo difícil. O Penafiel foi um sério aviso. O Casa Pia joga no mesmo sistema que nós e até há pouco tempo liderava - dentro das equipas que podiam subir, porque o Benfica B estava em primeiro - a classificação. Teve agora duas derrotas seguidas, algo normal na II Liga, que é muito competitiva. Eu conheço bem o treinador deles, ele também me conhece a mim. Há dinâmicas idênticas. O Casa Pia não tem nada a perder, num campo que é muito característico. Temos de ser muito sérios. Temos de entrar em campo sabendo sabendo que podemos perder este jogo, porque se não formos intensos e sérios e encararmos o jogo como uma final, poderemos não ultrapassar esta eliminatória, o que seria um grande problema para nós. Temos de assumir as nossas responsabilidades e vencer o jogo"

Jogadores aptos

"Não há novidades. Talvez o Esgaio possa ter a alta amanhã, porque julgo que faz o 11.º dia. Se tiver alta, será mais uma opção, porque não teve sintomas e não perdeu a forma, ainda para mais sendo o Esgaio. É mais uma opção, mas os outros não contam para este jogo"

Regresso ao local onde começou percurso de treinador

"É um local muito especial para mim, foi onde comecei a minha carreira como treinador, mesmo sendo um treinador estagiário. Quero manter as boas recordações de Pina Manique e, portanto, precisamos de ganhar. Não ganhando, torna-se tudo um pesadelo e não algo especial. Quero manter as boas recordações de Pina Manique. Vou reencontrar pessoas: o diretor não está lá, mas está lá o presidente e pessoas que trabalhavam lá naquela altura. Vou revê-los, mas eles sabem que o que interessa é ganhar, trazer a eliminatória para Alvalade e passar à próxima fase"

Casa Pia também joga com três centrais

"Não é por minha causa que o Casa Pia joga assim. Claro que quando há sistema contra sistema, conta muito a qualidade dos jogadores, mas não é isso que faz a diferença. Pode fazer a diferença, mas se não formos muito intensos deixa de haver qualidade. Se os outros forem mais rápidos, perceberem melhor o jogo e forem mais combativos, essa distância diminui muito. O Penafiel foi uma amostra do que é a II Liga, é muito competitiva e de um momento para o outro o Casa Pia pode muito bem estar a jogar a I Liga. É usar o que fazemos durante horas no treino, no mesmo sistema. Sabemos que problemas é que nos costumam colocar a nós, nós vamos fazer o mesmo ao Casa Pia, porque conhecemos bem o sistema, é como se jogássemos contra nós. Claro que as características dos jogadores têm muita influência, mas sabemos onde podemos criar problemas ao Casa Pia e onde o Casa Pia nos pode criar problemas a nós. Mesmo jogando fora, temos de ganhar o jogo"

Período menos eficaz de Pedro Gonçalves

"Na última vez que falamos da seca do Pedro Gonçalves foi antes do Borussia Dortmund e portanto já sabemos a resposta a essa pergunta. O Pedro Gonçalves é um jogador que, para o bem e para o mal, não pensa muito nas coisas. Claro que todos os jogadores sentem e querem marcar, ele obviamente quer marcar, mas cada jogo é uma oportunidade para ele fazer um ou dois golos"

Pedro Gonçalves falhou dois penáltis seguidos

"Nós podemos ir trocando. O Porro não chegou a falhar um penálti, mas mudámos porque ele, na altura, batia sempre para o mesmo lado. Não quero estar a dizer que bate agora, porque no próximo dia pode ser ele a bater. Vamos ver, estará lá no papel quem vai bater. Depois, entre eles, pode haver uma mudança, se chegarem todos a acordo. E depende também do jogo, da observação que fizermos do guarda-redes, de quem está mais confiante para o jogo... Em relação ao Pedro Gonçalves, de certeza que ele não está muito ansioso, porque isso não faz parte das características dele, e está pronto a marcar no próximo jogo"

Possibilidade de rotação de jogadores

"É preciso sangue fresco. Por mais que eles recuperem, e há tempo para recuperar, é preciso jogadores frescos, ainda com mais fome, para dar uma energia extra à nossa dinâmica e para manter toda a gente preparada, que é uma força deste grupo. Vamos meter sangue fresco no jogo, mas com zero facilitismos. Vai jogar a melhor equipa para vencer o jogo. Depois há uma paragem, vamos dar dois dias de natal e temos quase uma semana limpa. Não vai haver poupança nenhuma. As mudanças que existirão serão feitas a pensar em vencer o Casa Pia"

Diferença significativa dos três grandes para o resto da I Liga

"Pode ser algo pontual. Se formos ver a história, houve aqui uns anos em que passou a ser a dois. É bom ser a três e acho que a questão dos direitos televisivos vai ajudar o campeonato. O campeonato tem de melhorar e vai melhorar. Em relação às goleadas, só nós é que ainda não tivemos, falta a nossa parte. Mas os jogos, a meu ver, são sempre difíceis. No último jogo, o 3-0 contra o Gil Vicente não reflete a dificuldade do jogo em si. No ano passado, também tínhamos uma série de vitórias e depois em quatro jogos só ganhámos um, isto pode acontecer no campeonato. O que tem acontecido agora revela, também, a qualidade das equipas grandes. As outras equipas são muito competitivas entre si, roubam muitos pontos, há muitos empates e isso aumenta a distância. É não olhar para o lado, não pensar que isto será sempre a regra. É fazer o máximo de pontos, porque isto pode mudar de um momento para o outro. Mas penso que com as decisões dos direitos televisivos, com mais equilíbrio e mais dinheiro espalhado pelas equipas, o campeonato deve melhorar"

Reforços de inverno

"Não vamos pedir nenhum presente de natal. Temos a nossa ideia e o nosso planeamento para a próxima época. Está tudo planeado, não se trata de presentes de natal. Pode haver um ajuste ou outro, mas não há nada concreto nem pedi nada ao presidente, porque sei o momento em que estamos e sei do que falámos desde o início da época e do que pensamos daqui para a frente"

Hipótese de Marsà e Rodrigo Ribeiro jogarem

"O Rodrigo Ribeiro voltou a baixar. O Marsà continua connosco, temos poucos centrais. Tivemos dois dias para trabalhar, ele está cada vez melhor. Esta dança entre escalões, às vezes, não os ajuda tanto, mas é necessária. O Marsà, quando tiver de voltar à equipa B, volta. Por exemplo, o Geny [Catamo] vai voltar à equipa B e, se calhar, esteve a dois minutos de entrar no jogo, porque nós íamos mexer e o Geny ia entrar no jogo, mas houve o golo do Nuno Santos. Nós contamos com todos. O Marsà continua a ter espaço, o Rodrigo Ribeiro continua a ter as suas oportunidades, o Geny também. Eles vão ter de andar de escalão em escalão à espera da sua oportunidade, porque por vezes è preciso e eles merecem"