Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

“Não há nada de bom que se possa dizer sobre a sua passagem pela seleção”. Paulo Sousa quer sair para o Flamengo e há “choque” na Polónia

O pedido de Paulo Sousa para deixar o comando técnico da seleção polaca não foi bem recebido por jogadores e responsáveis pelo futebol daquele país. A estrela da Polónia, Robert Lewandowski, e o antigo presidente da federação polaca, responsável pela contratação do português, mostraram-se chocados e desiludidos

Carlos Luís Ramalhão

Quality Sport Images

Partilhar

Ao deixar a seleção polaca, Paulo Sousa irritou muita gente, talvez mais do que o próprio estaria à espera. Da comunicação social ao homem que o convenceu a aceitar o cargo de selecionador, passando pela grande estrela do futebol polaco, todos se pronunciaram de forma pouco simpática sobre a eventual saída do português para abraçar o projeto do Flamengo.

Robert Lewandowski, figura maior do Bayern de Munique e da Polónia, deixou para a sua assessora de imprensa a reação ao pedido de Paulo Sousa para deixar o comando técnico da seleção. Ao portal "Interia", Monika Bondarowicz disse que o capitão polaco “está chocado e surpreendido com a atitude do treinador Sousa”.

Zbigniew Boniek foi o presidente da Federação Polaca de Futebol que convenceu o antigo jogador de Benfica, Sporting ou Juventus, entre outros, a aceitar o desafio de comandar a seleção da Polónia. Boniek não fez cerimónia e criticou duramente o pedido de rescisão da parte do português. No programa de televisão “Prawda Futbolu”, o antigo dirigente assumiu: "Sinto-me estranho com esta situação. Fiz dele selecionador nacional. (…) A tarefa dele era apurar-nos para o playoff, algo que conseguiu. (…) Tenho de dizer que estou incrivelmente enojado”.

O sucessor de Boniek como líder da Federação Polaca, Cezary Kulesza, a quem compete autorizar ou não a saída de Paulo Sousa, recorreu ao Twitter para mostrar a sua indignação. "Fui informado pelo Paulo Sousa de que queria rescindir o contrato por causa da oferta de um clube. Trata-se de um comportamento extremamente irresponsável, inconsistente com as declarações anteriores do treinador. Portanto, recusei firmemente", fez saber Kulesza.

A decisão de Paulo Sousa está também nas capas de vários jornais polacos. A vontade de rescindir e ir para o Flamengo também não foi bem recebida pela comunicação social da Polónia. O “Przeglad Sportowy” chama “desertor” ao técnico português. O “Sportowe Fakty” escolhe a mesma palavra e acrescenta outras duas para qualificar o comportamento de Sousa: “Mostrou ser um desertor, ingrato e perdedor a todos os níveis”. Pode ler-se no editorial da edição online do “Sportowe Fakty”: “Não se comportou de forma correta com a Federação, até porque, na reunião de 14 de dezembro, garantiu ao presidente que não iria sair e estava apenas focado na Polónia”.

O jornal conclui: “Não há nada de bom que se possa dizer sobre a sua passagem pela seleção do nosso país”.