Tribuna Expresso

Perfil

Revista de Imprensa

"O senhor nunca jogou futebol!". Klopp confronta árbitro do Tottenham-Liverpool por não expulsar Harry Kane

"Honestamente, não tenho problemas com árbitros. Só consigo", diz um furioso Jürgen Klopp a um Paul Tierney estupefacto. Ali, nas ilhas britânicas, não é costume criticar-se árbitros desta forma. O alemão refere-se sobretudo a um lance que envolveu Harry Kane e Andy Robertson, com o homem do Tottenham a fazer uma entrada duríssima sobre o defesa dos reds

Tribuna Expresso

PHIL NOBLE

Partilhar

Mal acabou o jogo entre Tottenham e Liverpool (2-2), Jürgen Klopp correu em direção ao árbitro Paul Tierney. A lista de reclamações do alemão era grande e Klopp queria enunciá-las cara a cara com o juiz do encontro. Quem nunca viu um Klopp enfurecido pode assustar-se. Para germânico, o treinador do Liverpool precisa de muito pouca água para ferver.

“Sinceramente, não tenho problemas com nenhum árbitro, apenas consigo. Se não nos dá este penálti, o senhor nunca jogou futebol”, disse Klopp a um árbitro sem palavras. Mais tarde, já na conferência de imprensa, o técnico do Liverpool acrescentou: “Só precisamos de um árbitro objetivo que veja as situações e as julgue, não dê apenas opiniões”.

O ponto principal da lista de Klopp tem a ver com uma entrada de Harry Kane sobre Andy Robertson, que, na sua opinião, devia ter valido a expulsão do avançado e capitão da seleção inglesa. Em vez disso, Kane viu um cartão amarelo. “Aquilo é definitivamente um cartão vermelho. Se o pé do Andy estivesse no relvado teria partido a perna”, disse Klopp. O jornal inglês “Daily Mail” considera que não houve “maldade” na entrada de carrinho, mas a verdade é que o inglês apanha o tornozelo de Robertson.

Jamie Redknapp, agora comentador e antigo atleta dos dois clubes, diz, com alguma controvérsia, que o estatuto de capitão da seleção inglesa pode ter poupado a Kane uma sanção mais dura. Gary Neville, insuspeito ex-jogador do Manchester United, concorda que o homem do Tottenham teve sorte.

Outra frustração de Klopp – aliás, a primeira referida cara a cara com o árbitro – prendeu-se com uma alegada falta de Emerson Royal sobre o português Diogo Jota, dentro da área. O árbitro não consultou sequer o vídeo-árbitro e talvez nem fosse preciso. Segundo Jamie Redknapp, a posição de Tierney seria suficiente para julgar o lance dentro do campo e apontar para a marca de grande penalidade.