Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

TAD aceita providência cautelar do FC Porto pela interdição do Dragão e o clássico com o Sporting terá público

O Conselho de Disciplina da FPF condenou o FC Porto a dois jogos à porta fechada, após os acontecimentos do FC Porto - Sporting de fevereiro deste ano, mas medida fica agora suspensa. FC Porto - Sporting da 3.ª jornada da I Liga seria um dos encontros que os campeões nacionais teriam de jogar sem adeptos nas bancadas

Lusa

DeFodi Images/Getty

Partilhar

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) deu provimento à providência cautelar do FC Porto pela interdição de duas partidas do Estádio do Dragão, aplicada pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Fontes dos campeões nacionais e ligadas ao processo confirmaram à agência Lusa a decisão do TAD, que permite suspender a medida da secção profissional do CD da FPF, cuja entrada em vigor 15 dias após o seu anúncio afetaria as receções do FC Porto ao Sporting, no ‘clássico’ da terceira jornada da edição 2022/23 da I Liga, no fim de semana de 20 e 21 de agosto, e ao Desportivo de Chaves, da sexta, em 10 ou 11 de setembro.

Em 20 de julho, os campeões nacionais comunicaram que iam “convictamente recorrer e reverter” a sanção de dois jogos de interdição do recinto, argumentando que tal se devia “apenas e só ao comportamento de elementos que não pertencem à estrutura” do clube.

Em causa estão os incidentes no ‘clássico’ entre FC Porto e Sporting, da 22.ª jornada da edição 2021/22 da I Liga, que geraram ainda uma multa de 25.245 euros aos ‘dragões’, por “arremesso de objeto sem reflexo no jogo” e “inobservância qualificada de deveres”.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol condenou também o coordenador de segurança da SAD do FC Porto, João Paulo Sousa, a pagar uma coima de 1.530 euros, ao passo que o diretor de campo e o diretor de segurança, Ricardo Carvalho e Carlos Carvalho, respetivamente, receberam multas de 918 euros cada um.

Já Manuel Silva (colete azul n.º 02), Carlos Elias (n.º 03) e Cláudio Filipe Nova (n.º 05), identificados no documento como “elementos de apoio às ações promocionais da FC Porto SAD”, receberam 75 dias de suspensão e 3.060 euros de coima por “agressões”.

Alvo de um processo disciplinar nos dias seguintes ao ‘clássico’, que foi realizado em 11 de fevereiro e terminou empatado 2-2, Matheus Reis, defesa brasileiro do Sporting, já tinha sido constituído arguido, mas foi considerado absolvido do ilícito de agressão.

Estes castigos foram divulgados após a instauração de um processo de inquérito aos incidentes verificados na receção dos ‘dragões’ aos ‘leões’, tais como o arremesso de objetos de apanha-bolas e de objeto metálico, em forma de projétil, ou o comportamento de assistentes de recinto desportivo e elementos da equipa de ativações publicitárias.

Quando faltavam 12 jornadas para o fim do campeonato, o então líder FC Porto manteve os seis pontos de avanço sobre o Sporting, segundo colocado, ao responder aos golos iniciais de Paulinho (oito minutos) e Nuno Santos (34) por Fábio Vieira (38) e Mehdi Taremi (78), tendo jogado em vantagem numérica desde os 49, por expulsão de Coates.

Os detentores da Taça de Portugal e da Supertaça Cândido de Oliveira iniciam a defesa do título de campeão nacional com uma receção ao Marítimo, no sábado, às 20:30, no Estádio do Dragão, no Porto, em jogo da jornada inaugural da edição 2022/23 da I Liga.