Tribuna Expresso

Perfil

FC Porto

Sérgio Conceição: “Temos de nos reinventar. O Otávio trabalha comigo há seis anos, se eu fosse igual ele já nem me ouvia”

FC Porto e Tondela disputam no sábado (20h45, TVI), em Aveiro, a Supertaça Cândido de Oliveira. O treinador dos dragões desmentiu o pedido de demissão noticiado após saída de Francisco Conceição para o Ajax e não comentou saída de Vitinha. "Não sou dirigente para saber se é bom ou mau negócio"

Tribuna Expresso

DeFodi Images

Partilhar

Pré-época

“Tem sido absolutamente normal o que temos feito, dentro de um espírito que exijo, que é de compromisso, dedicação, de grande ambição diária, para que o grupo possa chegar aos jogos e dar uma resposta positiva e ganhá-los.”

Se ganhar, alcança Artur Jorge como treinador com mais títulos do clube

“Estou preocupado com o título de amanhã, que é o mais importante.”

Vitinha: bom negócio? FC Porto será diferente?

“Amanhã vamos apanhar um Tondela difícil, uma equipa difícil, praticamente a mesma que jogou contra nós há um mês e meio na final da Taça de Portugal, com um treinador diferente, saindo uma ou outra peça, mas não perdendo o espírito muito interessante, com jogadores interessantes de 1.ª Liga. O meu foco é todo no jogo de amanhã e no adversário que vamos ter pela frente. A minha energia foi toda para o que posso controlar, que é o balneário e jogadores, o meu trabalho no fundo. Não sou dirigente para saber se é bom ou mau negócio, sou treinador, treino os jogadores que cá estão. Há gente muito capaz neste clube há 40 anos, nomeadamente o nosso presidente, tudo passa essencialmente por ele.”

Gabriel Veron

“Se vai demorar muito ou não, depende do que ele demonstrar. No fundo, o Veron foi contratado, à imagem de outros jogadores jovens de grande potencial, para virem para o nosso campeonato e, de acordo com as características dos jogadores, haver a tal integração e evolução normal de quem chega de um campeonato diferente. Por ser jovem, precisa do seu tempo de adaptação, mas tem tudo para se afirmar no nosso futebol, não só no futebol português, mas na Europa, onde existem as melhores equipas do mundo. Para ele ser contratado, eu conhecia as qualidades. A partir desse momento, é tempo e adaptação, que pode ser uma semana ou um mês, depende do que ele demonstrar diariamente.”

Tondela mais fragilizado?

“Uma final é uma final. É um jogo, tudo pode acontecer. [Depois de arriscar os 11 jogadores que acredita que vão começar o jogo da parte do Tondela], é muito semelhante. É verdade que as opções diminuíram pelos problemas que toda a gente conhece. Se o jogo for a prolongamento, há miúdos que subiram da formação que têm qualidade. Analisámos esses jogadores. Fragilidade ou não, depende do que fizermos. Somos a equipa que teoricamente tem a obrigação de ganhar o jogo, pela sua história e peso no futebol portugues, nomeadamente nesta prova. Agora, é preciso provar essa superioridade em campo. Tenho um grande respeito pelas equipes, estão cada vez mais bem apetrechadas as equipas técnicas, gente capaz, trabalham muito e bem. Não espere jogo fácil, antes pelo contrário."

Pedido de demissão? (polémica com líder dos Super Dragões após saída de Francisco Conceição)

“Mentira. Os jornalistas também têm dias maus, é completamente falso. Todos os jogadores que não fazem parte do clube não falo deles. Não vou comentar reações de adeptos.”

Castigos de Diogo Costa, Otávio, Fábio Cardoso e Manafá

“É verdade que os castigos apareçam e os nossos jogos de preparação – com Gil Vicente, Arouca e Monaco – foram a pensar claramente neste jogo da Supertaça. Depois aparecem esses castigos, obviamente que não contava com esse timing. Tinha uma ou outra opção para o jogo e não tenho, não vou dizer se é certo ou não o castigo, não sou um jurista isento da federação. Sou treinador de futebol, pagam-me para isso, comento as opções que tenho à minha frente, não posso contar com jogadores importantes que iam dar o seu contributo, nomeadamente Diogo Costa e Fábio Cardoso. O Otávio já estava castigado e o Manafá lesionado.”

Alvo a abater: algo diferente preparado para motivar?

“Temos de nos reinventar todos os anos. O Otávio trabalha há seis anos comigo, se eu fosse igual ele já nem me ouvia depois de dois segundos de conversa. Temos de ter essa capacidade, não só no jogo, dependendo dos jogadores à disposição e forma, temos de andar sempre à procura de coisas diferentes, no discurso, na forma de motivar, naquilo que somos diariamente aqui dentro. Temos de respeitar o que somos na nossa essência, isso faço, não abdico e é inegociável para mim. Há um trabalho que fazemos para que cada ano seja com a mesma dedicação, determinação e a mesma essência, é fundamental não sair disso.”

Mercado

"O nosso mercado fica ali com o nosso cão, o Dragão, à porta do Olival. Não falo. Sinceramente, o culpado também sou eu, passei aqui todo este tempo sem falar, acho que não se deve falar quando se ganha, há pouco a dizer, falar em cima da vitória começa a cansar um bocadinho. Não havia necessidade disso. Nesta pré-época fiz questão de não falar também. Há que concentrar no trabalho, preparação da nova época. Na minha opinião, é uma falta de respeito para com o Tondela e a sua equipa e clube: há um título em disputa e, em conferência de 20, 25 minutos, falámos um minuto do tema Tondela e porque fui eu que puxei. Acho que não é positivo.”