Tribuna Expresso

Perfil

NBA

NBA faz alterações aos protocolos de segurança contra a covid-19 e diminui o tempo de isolamento para quem testar positivo

A NBA continua a lidar com uma nova vaga de casos de covid-19 entre os seus jogadores e treinadores, mas continua também a procurar soluções para que não tenha que interromper a temporada. A mais recente passa por diminuir, sempre que possível, o tempo de isolamento de quem tenha testado positivo

Rita Meireles

Maddie Malhotra

Partilhar

Passou uma semana desde que Adam Silver colocou a hipótese em cima da mesa. Na altura, o comissário da NBA confessou que a liga não estava ainda preparada para assumir uma mudança de posição, mas agora tomaram a decisão de avançar. Trata-se do tempo que cada jogador fica confinado depois de testar positivo à covid-19: após atualização dos protocolos de saúde da NBA, em algumas situações o tempo de isolamento passa de 10 para seis dias.

Não é qualquer jogador ou treinador que tenha testado positivo à covid-19 que terá a oportunidade de regressar à quadra mais cedo. Para que assim seja, é necessário estarem assintomáticos e que cumpram outras normas de testagem.

As mudanças nas regras foram feitas no mesmo dia em que o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla americana), a autoridade de saúde nos EUA, diminuiu o tempo de isolamento dos cidadãos que tenham testado positivo de 10, para cinco dias. Esta decisão surgiu porque a entidade afirmou ter provas que mostram que as pessoas com coronavírus são mais infecciosas nos dois dias antes e três dias após os sintomas se desenvolverem.

A NBA tem vindo a lidar com uma nova vaga de casos entre os seus jogadores e treinadores, mesmo com 97% dos jogadores vacinados e, pelo menos, 65% com a dose de reforço. Ainda assim, Adam Silver fez questão de realçar, em entrevista à "ESPN", a eficácia da dose de reforço. Através dos dados recolhidos junto dos jogadores que receberam essa terceira vacina, percebeu-se que estes ou não apresentaram sintomas, ou tiveram sintomas leves e, por isso, recuperaram mais rapidamente.

Dois dos casos mais recentes a integrar os protocolos, confirmados na passada segunda-feira, são os treinadores Monty Williams, dos Phoenix Suns, e Chauncey Billups, dos Portland Trail Blazers.

“Na liga, todos estão a passar pela mesma coisa", disse Kevin Young, adjunto do Suns, que está a assumir a equipa na ausência de Williams. "Tínhamos um slogan no ano passado — navegar na incerteza — e aqui estamos nós".

‘Incerteza’ é realmente a palavra de ordem neste momento na NBA e no mundo. Prova disso é que, também na segunda-feira, Elfrid Payton entrou nos protocolos de segurança contra a covid-19 e, 90 minutos antes do jogo, foi declarado apto para jogar.

Nesse mesmo dia, a contagem de jogadores da NBA inseridos nos protocolos estava já nos 120. Continuam nomes como Kevin Durant, James Harden ou Karl-Anthony Towns, enquanto que, de regresso à quadra, estão já jogadores como Trae Young e Giannis Antetokounmpo.

Um dos nomes de peso que se juntou recentemente à lista de jogadores em isolamento foi Jayson Tatum, dos Boston Celtics.

As equipas que têm sido mais afetadas pela covid-19 tiveram a oportunidade de contratar jogadores substitutos pelo período de 10 dias para que a liga não se veja obrigada a interromper a competição.