Tribuna Expresso

Perfil

Modalidades

O campeão olímpico Viktor Petrenko foi patinar à Rússia e a Ucrânia não gostou. Zelensky já lhe retirou a bolsa mensal que recebia

A invasão russa na Ucrânia ainda é uma realidade. O que justifica o descontentamento dos ucranianos quando perceberam que um dos seus campeões olímpicos estava a participar num espetáculo na Rússia, organizado por uma pessoa próxima de Putin. Viktor Petrenko já disse “não à guerra”, mas agora vê o seu país a cortar laços com ele

Rita Meireles

David Madison

Partilhar

Quando a Rússia iniciou a guerra na Ucrânia, em fevereiro, Viktor Petrenko, campeão olímpico ucraniano, foi um dos rostos do desporto que se manifestou publicamente contra a invasão. Deixou a mensagem “No War” (não à guerra) nas suas redes sociais. O ex-patinador, que venceu o ouro nos Jogos de Barcelona, em 1992, parecia ser um dos muitos atletas ucranianos que serviriam como embaixadores do seu país em tempos de guerra. Mas, desde então, Petrenko deixou de ser visto como um campeão.

Em junho, o ex-patinador anunciou a sua intenção de deixar a federação de patinagem artística ucraniana. Um dia mais tarde, foi expulso provisoriamente. No mês passado chegou a expulsão formal e Petrenko foi despedido do seu cargo de vice-presidente da entidade, depois de ter participado num espetáculo no gelo em Sochi, na Rússia.

O espetáculo em questão foi organizado por Tatiana Navka, campeã olímpica de dança no gelo em 2006, que é casada com Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin. O casal foi um dos que integrou a lista de sanções impostas pelos Estados Unidos dada a sua ligação ao presidente Vladimir Putin.

"O ex-atleta tomou esta decisão vergonhosa apesar da guerra sangrenta em grande escala que a Rússia tem vindo a travar", disse a federação numa declaração, traduzida pelo “New York Times”, realçando que a morte de milhares de ucranianos "não se tornou um obstáculo para Viktor Petrenko", que atuou “na mesma equipa com os apoiantes desta terrível guerra".

Quem não ficou nada satisfeito com a atitude de Petrenko foi Volodymyr Zelensky. O presidente da Ucrânia anunciou, na segunda-feira, que iria retirar ao campeão olímpico a bolsa mensal que é geralmente atribuída aos atletas de topo e outros ucranianos de grande sucesso.

Apesar de Petrenko ser um dos rostos principais do desporto ucraniano, não foi o único nome mais conhecido a participar no espetáculo “The Scarlet Flower”, na Rússia. Kamila Valieva, a promessa russa que testou positivo num controlo antidoping durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, foi outra das participantes.

Segundo a programação definida, o espetáculo continuará até setembro, mas ainda não se sabe se o ucraniano vai permanecer entre os artistas ou abandonar a produção depois de tanto desagrado por parte do seu país.