Tribuna Expresso

Perfil

Mercado

Depois das lições em Munique, Renato Sanches vai jogar no galático PSG

A contratação do internacional português, de 24 anos, foi confirmada primeiro por Christophe Galtier, o treinador com quem foi campeão francês no Lille, em 2020/21, e depois oficialmente pelo próprio do Paris Saint-Germain. Renato junta-se a Danilo, Nuno Mendes, Vitinha

Hugo Tavares da Silva

Aurelien Meunier - PSG

Partilhar

O miúdo que em tempos assumia a bola, no Estádio da Luz, entre as trutas e cadeiras cheias de gente volta a mergulhar nas maiores nuvens do futebol europeu. Depois de três anos no Lille, segue-se o Paris Saint-Germain, que já conta com Nuno Mendes, Danilo e Vitinha, onde se vai reencontrar com o treinador Christophe Galtier. A transferência rondará os 15 milhões de euros.

Foi, aliás, o treinador francês que primeiro confirmou a contratação do internacional português, de 24 anos, para o Parque dos Príncipes, esta quinta-feira, na conferência de imprensa que lançava a primeira jornada da Ligue 1. Renato junta-se aos reforços Vitinha (ex-FC Porto), Hugo Ekitike (ex-Reims) e Nordi Mukiele (ex-RB Leipzig), confirmando a guinada menos galática no mercado parisiense, com dedo de Luís Campos, o conselheiro e responsável pelos dossiers de organização, recrutamento e performance. Na equipa técnica há outro português: João Sacramento, ex-adjunto de José Mourinho.

Antes do Euro 2016, que Portugal acabou por vencer e onde Renato Sanches seria um dos destaques, o médio foi anunciado no Bayern Munique, uma equipa poderosa que contava com Xabi Alonso, Thiago Alcântara, Joshua Kimmich e Arturo Vidal. O português, numa entrevista ao “MaisFutebol”, admitiu que não foi fácil.

“O [Carlo] Ancelotti sempre foi um grande homem, uma grande pessoa, acho que eu não estava preparado no meu primeiro ano”, desabafou. “Foi tudo muito rápido e depois, quando cheguei, não me preparei da melhor forma para representar o clube naquele momento. Cheguei e lesionei-me durante um mês. Perdi a época quase toda, no primeiro treino lesionei-me e depois o mister falava muito comigo e dava-me muitas oportunidades. Eu não consegui corresponder e nesse aspeto eu assumo toda a responsabilidade. Não consegui corresponder.”

A vida seguiu no improvável Swansea, onde se cruzou com Carlos Carvalhal. O regresso ao Bayern foi estéril e o Lille abriu-lhe as portas da reabilitação reputacional e exibicional. O outrora Golden Boy conquistou ali, em 2020/21, uma liga francesa, superando o PSG por um mero ponto. Christophe Galtier, atualmente no PSG, era o treinador dos Les Dogues.

No arranque dessa época, no verão de 2020, deu uma entrevista à BTv onde confirmou que o regresso à Luz esteve iminente. “Já estive para voltar ao Benfica mais do que uma vez e gostaria disso. Agora estou bem no clube onde estou [Lille], as coisas estão a correr bem e estou contente. Mas não quero voltar muito velho ao Benfica porque quero ganhar títulos e vou jogar para ganhar", prometeu.

A morada fiscal do futebol ousado e descomplexado do menino da Musgueira será agora uma das capitais do futebol-champagne, com Lionel Messi, Neymar e Kylian Mbappé por perto. O PSG começa o campeonato com o Clermont, no Estádio Gabriel-Montpied, este sábado (20h, Eleven Sports1).