Tribuna Expresso

Perfil

Liga dos Campeões

Juventus - Benfica visto em Itália: da “lição de futebol” dos encarnados à “luz que se apagou”, acabando em “vazio mental” e “outro KO”

Jornais italianos muito críticos com a Juventus, que depois de um bom arranque no jogo desapareceu, deixando o Benfica ganhar “confiança e terreno”. Os encarnados, “uma equipa excelente”, dizem, começam a ser uma verdadeira “besta negra” o gigante de Turim na Europa

Expresso

NurPhoto/Getty

Partilhar

A vitória do Benfica em casa da Juventus é apenas mais um capítulo num início de época que tem sido desastrado para o gigante italiano, que já leva quatro empates em seis jogos na Serie A, onde é apenas 8.º.

E na Champions não está muito melhor. Depois da derrota com o PSG a abrir a fase de grupos, a Juventus entrava para o primeiro jogo em Turim como favorita, mas acabou surpreendida pelo Benfica, que venceu por 2-1, numa vitória que poderia ter sido ainda mais robusta para os encarnados. A Juventus até marcou cedo, logo aos 4 minutos, mas a recuperação do Benfica começou ainda na 1.ª parte, com João Mário de penálti, e confirmada por Neres aos 55’.

Na imprensa local não há contemplações. “Parece um filme que já viram. Golo nos primeiros minutos e depois nada. A Juventus jogou 20 minutos e depois recebeu uma aula de futebol do Benfica”, escreve a “Gazzetta dello Sport”. O diário das folhas rosa recorda que a Juventus nunca “havia perdido duas vezes nos dois primeiros jogos da fase de grupos da Champions” e que depois de um bom arranque perdeu “confiança e terreno”.

No início, os italianos mostraram “grande personalidade”, escreve a “Gazzetta”, “um jogo dominante, pressão alta e agressividade”, mas “logo a luz se apagou”, com o Benfica a crescer “em presença e confiança”.

O “Tuttosport” aponta “os assobios” no final do jogo no Allianz Stadium. “KO com o Benfica”, podia ler-se na manchete do site, ao passo que o “Corriere dello Sport” usa também a nomenclatura dos desportos de combate para falar de uma Juventus caída no ringue. “Outro KO com o Benfica: Milik não chega e vaias no estádio”, refere o diário, que chama a este momento “um dos piores da história da Juventus a nível europeu” e frisa “o vazio mental” que se notou na equipa na noite de quarta-feira.

O "Corriere dello Sport” lembra também a história dos confrontos dos encarnados com a Juventus: “As águias, definitivamente, são uma autêntica besta negra para os homens de Turim na Europa”. Antes desta derrota, o Benfica havia eliminado a Juventus nas meias-finais da Liga Europa em 2014 e ainda nos anos sessenta, na época 1967/68, os italianos também caíram frente ao Benfica nas meias-finais da Taça dos Campeões Europeus.

“A Juventus hoje simplesmente não existe”. A frase dura pode ler-se no generalista “Corriere della Sera” que caracteriza o Benfica como “uma equipa excelente”, que “joga bem”, mas “que não tem fenómenos”.

“A Juventus não consegue fazer a diferença e o Benfica tinha a lição na cabeça. Allegri está confuso”, escreve também o jornal transalpino.

  • Só o Benfica foi gigante
    Liga dos Campeões

    Num duelo de bicampeões europeus, a equipa portuguesa foi a Turim derrotar, por 2-1, a Juventus. Os italianos até marcaram primeiro, mas um Benfica cheio de personalidade e embalado pela qualidade de António Silva, Enzo ou David Neres deu a volta ao marcador, chegando a vulgarizar a vecchia signora e desperdiçando oportunidades para obter um triunfo mais confortável