Tribuna Expresso

Perfil

Tóquio 2020

Tóquio 2020

Jogos Olímpicos

José Manuel Constantino é recandidato à presidência do Comité Olímpico de Portugal

À frente do COP desde 2013, Constantino é, para já, o único candidato ao ato eleitoral que se realizará a 10 de março de 2022

Lusa

Partilhar

José Manuel Constantino é recandidato à presidência do Comité Olímpico de Portugal (COP), demonstrando-se, em entrevista à Lusa, disponível para “preencher mais um mandato” até aos Jogos Olímpicos de Paris 2024, caso seja essa “a vontade das federações desportivas”.

“Após ter procedido a uma avaliação do trabalho do Comité Olímpico nestes dois mandatos, depois de ter ouvido a Comissão Executiva do COP e de ter recolhido a opinião de muitas federações desportivas, disponibilizei-me para, se essa for a vontade das federações desportivas, ser novamente candidato”, anunciou.

Presidente do organismo desde 2013, José Manuel Constantino confirmou que será candidato às eleições agendadas para 10 de março de 2022, apesar dos problemas de saúde que enfrentou recentemente, nomeadamente um AVC, descrito então como “muito ligeiro” e “sem qualquer sequela”.

“Não escondo que há uma circunstância de ordem pessoal que coloca alguma limitação para o exercício pleno dessas funções e, nesse sentido, procurei recolher aquele que é o parecer das equipas médicas que me têm acompanhado no sentido de saber se a situação que vivi é uma situação que está superada e se tenho condições de saúde para poder assumir essa responsabilidade. Com tudo de aleatório e volúvel que tem uma situação desta natureza, a opinião que recolhi foi favorável”, revelou.

Assim, José Manuel Constantino, de 71 anos, manifesta a sua disponibilidade para, “se essa for a vontade das federações desportivas, preencher mais um mandato até aos Jogos Olímpicos de Paris”.

O presidente do COP mostrou-se “entusiasmado” para liderar o organismo num novo ciclo olímpico, ressalvando, contudo, ter “algum receio” de que as suas capacidades “físicas e intelectuais” possam ter ficado “atingidas” pelas “situações” que viveu recentemente.

“Os pareceres médicos que recolhi vão no sentido de que mesmo algumas situações do ponto de vista da memória são recuperáveis com o tempo e, portanto, parto com a expectativa de que possuo as condições do ponto de vista de saúde suficientes para poder assumir esta responsabilidade”, reforçou.

A comissão eleitoral que liderará o processo vai ser composta por Vasco Lynce, antigo presidente e membro honorário do COP, Maria Abrantes Mendes, jurista, e João Mariz Fernandes, antigo presidente do Panathlon Clube de Lisboa.

As listas candidatas ao COP devem ser apresentadas até 45 dias antes da data das eleições, ou seja, até 24 de janeiro de 2022.

Até ao momento, José Manuel Constantino, que preside ao COP desde 2013, quando sucedeu a Vicente Moura, é o único candidato ao ato eleitoral.