Perfil

Futebol internacional

Dois meses depois da tragédia, o futebol regressou aos estádios da Indonésia

Com o objetivo de “salvaguardar o futuro do futebol no país”, o governo do país autorizou o retorno das competições aos estádios, esta segunda-feira, com os jogos a realizarem-se à porta fechada

Lusa

Ulet Ifansasti/Getty

Partilhar

As competições de futebol na Indonésia foram esta segunda-feira retomadas, com a realização à porta fechada de quatro jogos do escalão principal, dois meses após os tumultos ocorridos num estádio em Malang, que provocaram 135 mortos.

O governo indonésio já tinha informado que o campeonato iria ser disputado até ao fim e todos os jogos previstos seriam realizados, a fim de “salvaguardar o futuro do futebol no país”.

A retoma da competição efetuou-se com a realização de quatro encontros, entre os quais o do líder, PSM Makassar, dois meses após o futebol ter sido suspenso na Indonésia, devido aos incidentes no estádio Kanjuruhan, em Malang, que levou o governo daquele país do Sudeste asiático a ordenar a demolição do recinto.

A tragédia ocorreu no dia 01 de outubro, tendo o gás lacrimogéneo lançado pela polícia para conter os adeptos sido uma das causas apontadas para o elevado número de mortos e feridos, pois causou a debandada de pessoas num estádio sem as vias de escoamento adequadas, no desafio entre o Arema, que jogava em casa, e o Persebaya Surabaia, na cidade de Malang, na ilha de Java.

O triunfo dos forasteiros, por 3-2, resultou no desagrado dos locais e consequente invasão de campo, seguindo-se o confronto com as autoridades, que responderam com o uso de cassetetes e gás lacrimogéneo, num desafio que não contava com adeptos da equipa visitante, situação acordada entre os oponentes, para evitar confrontos.