Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Isco e Marcelo, os históricos do Real Madrid que estão livres, mas encalhados

A poucos dias de começar La Liga, esperar-se-ia que as duas estrelas do clube merengue, dispensadas, já tivessem arranjado clubes para continuarem a carreira. No entanto, o silêncio sobre o seu futuro começa a ser inquietante

Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

Isco e Marcelo são dois históricos do Real Madrid, carregados de títulos pelo clube espanhol, mais ainda no caso do brasileiro - tem 26 títulos no Real Madrid. Mas o tempo não perdoa e os dirigentes merengues tomaram a decisão de não renovar com os jogadores que passaram mais de uma década na elite do futebol mundial.

A apenas 10 dias do início da Liga, em pleno baile do mercado que encerra a 31 de agosto, o jornal “Marca” lembra que, apesar de estarem livres e poderem negociar com qualquer clube, os dois futebolistas continuam com o futuro envolto em nevoeiro. Ambos os jogadores já admitiram que não pensam pendurar as chuteiras.

No caso de Isco, o clube que terá mostrado mais interesse em 'mordê-lo' foi o Sevilha, treinado por Julen Lopetegui. No entanto, os andaluzes não parecem com muita disponibilidade para avançar com uma proposta concreta pelo jogador. O agente de Isco é Jorge Mendes e sabe-se que o português está empenhado em conseguir um clube para o craque, tendo tentado o grande rival do Sevilha, o Bétis, mas apesar de o treinador Manuel Pellegrini conhecer bem o atleta, as coisas não têm avançado.

Também a Roma de Mourinho tem sido falada. O grande problema será, como habitualmente nos casos de jogadores provenientes de clubes grandes, o salário elevado que, alegadamente, o atleta não quer perder: são 10 milhões de euros por ano. Além disso, Isco, de 30 anos, quererá jogar numa equipa que dispute competições europeias.

Também Marcelo, quatro anos mais velho, jogador com mais títulos na história do Real Madrid, não parece ter a vida fácil. O brasileiro deixou claro que se sente com força para continuar a jogar, mas partilha com Isco o problema do salário milionário, do qual terá pouca vontade de abdicar.

O primeiro nome a soar como provável destino para Marcelo foi o Valladolid e isso aconteceu com naturalidade.

O presidente do clube é Ronaldo Nazário, o “Fenómeno” que chegou a partilhar o balneário com o lateral. De acordo com os franceses do “L’Équipe”, o Lyon também sondou o atleta, mas acabou por desistir. Em Itália, falou-se do AC Milan. E, claro, haveria sempre a hipótese de voltar ao Brasil, para terminar a carreira no Fluminense. Por fim, Jorge Jesus mostrou vontade de levar Marcelo para o Fenerbahçe. O facto é que, neste momento, a estrela que brilhou com Cristiano Ronaldo continua em Madrid, sem destino certo.