Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Abel e o empate com o Atlético Mineiro na Libertadores: “A equipa é capaz de tudo. Se der o máximo, o treinador aceita qualquer resultado”

O treinador português reconhece que o adversário esteve melhor na primeira parte, mas destaca a “cabeça fria” dos seus atletas para conseguirem um bom resultado, que deixa o Palmeiras com boas perspetivas de qualificação para as meias-finais da Copa Libertadores

Expresso

Yuri Edmundo/Getty

Partilhar

O treinador português Abel Ferreira, do Palmeiras, elogiou a forma como o Palmeiras conseguiu reagir às adversidades e empatar a dois golos no terreno do Atlético Mineiro, esta quarta-feira, o que deixa boas perspetivas para a passagem à próxima fase da Copa Libertadores.

No fim do jogo, o treinador português referiu a maturidade da equipa paulista como razão fundamental para que o foco tivesse sido mantido, mesmo quando perdiam por 2-0 já no início da segunda parte. “É fruto de muito trabalho dos nossos jogadores, que têm uma crença e uma mentalidade competitiva muito fortes. É uma equipa que tem sucesso porque sabe que, se der o máximo nos treinos e nos jogos, o treinador aceita qualquer resultado”, disse Abel.

Os elogios foram também para o adversário: “Jogámos contra uma equipa muito qualificada, muito bem treinada, que nos pressionou muito, reduziu o espaço e foi melhor que o Palmeiras na primeira parte”. “Na segunda parte, após o golo, fomos muito melhores, fizemos dois golos, tivemos ainda uma grande oportunidade. (…) Jogámos da nossa maneira e, quando é da nossa maneira, esta equipa é capaz de tudo. Nunca devemos desistir, acho que o empate acaba por ser o resultado justo”, acrescentou o antigo treinador do Sporting de Braga.

Quando lhe perguntaram qual foi a receita para a mudança de comportamento entre a primeira parte e a segunda, o técnico sacudiu os méritos próprios, preferindo delegá-los: “São os jogadores que fazem a diferença. Nós temos planos para o jogo, mas o jogo também tem planos para nós. Não estavam nos planos, estes 45 minutos. (...) Eles sabem, não é de hoje, que a obrigação é cada um dar o seu melhor”.

“Eu não mudo o futebol brasileiro, mas posso mudar os meus jogadores, a forma como eles pensam e jogam. O segredo hoje foi sermos positivos, mesmo na adversidade. Acho que a equipa tem dado passos muito grandes para lidar com as adversidades do jogo”, comentou ainda Abel Ferreira.

A segunda mão dos quartos de final da Libertadores joga-se na próxima quarta-feira, no Allianz Parque. Para passar, o Palmeiras precisa de ganhar. Caso haja novo empate, o vencedor da eliminatória surgirá nos penáltis.