Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Presidente do Nápoles garante que só volta a contratar jogadores africanos se abdicarem de jogar na Taça das Nações Africanas

As regras dizem que os jogadores devem ser dispensados para jogar a Taça das Nações Africanas, independentemente de ser a meio da época, mas o presidente do Nápoles decidiu mudar as regras. A partir de agora, Aurelio de Laurentiis vai exigir que os jogadores africanos optem por não participar na competição como condição para os contratar

Rita Meireles

Nicolò Campo

Partilhar

Aurelio de Laurentiis, presidente e proprietário do Nápoles, não gostou das frequentes ausências dos seus jogadores africanos por causa dos compromissos com os seus países. Sendo assim, decidiu instaurar uma nova regra no clube: só contrata novos jogadores com origens no continente em questão se estes concordarem em não jogar a Taça das Nações Africanas (CAN).

"Basta de jogadores africanos, ou eles devem desistir de jogar na Taça das Nações Africanas. Não os vou voltar a comprar por esta razão", disse De Laurentiis a um programa do "Wall Street Italia".

O defesa senegalês Kalidou Koulibaly, agora jogador do Chelsea, e Andre-Frank Zambo Anguissa, médio dos Camarões, falharam seis jogos do Nápoles durante a competição deste ano, que aconteceu em janeiro e fevereiro. Os dois jogadores não estiveram no empate (1-1) contra a Juventus no início do ano e na derrota a contar para a Taça de Itália, contra a Fiorentina. Nos restantes quatro jogos, o clube conseguiu quatro vitórias.

O Senegal conquistou a CAN pela primeira vez na história, enquanto que os Camarões, país anfitrião da competição, terminou na terceira posição. Koulibaly esteve no clube italiano durante oito anos e já reagiu a estas declarações, realçando que é importante “respeitar toda a gente”.

"Não se pode falar de equipas nacionais africanas assim. É preciso ter respeito e, como capitão do Senegal, acho que não é uma boa maneira de falar. Se ele pensa que a equipa pode jogar sem jogadores africanos, é a ele que compete. Mas penso que nem todos têm a mesma ideia do que ele no clube, porque eu conheço os seus adeptos e eles não pensam assim", disse à “BBC Sport”.

Os dois únicos títulos da Serie A que o Nápoles venceu foram em 1987 e 1990 com uma equipa que contava com Diego Maradona. De Laurentiis deixou claro que o que ambiciona é que o clube regresse às vitórias desses tempos.

"Pagamos os salários para os enviar para jogar noutro local a meio do campeonato", acrescentou, realçando que pretende que os jogadores assinem "uma renúncia para à CAN e aos campeonatos da América do Sul [Copa América]".

Segundo as atuais regras da FIFA, os jogadores de qualquer clube devem ser autorizados a participar na Taça das Nações Africanas, apesar da competição decorrer a meio das épocas.