Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Jorge Jesus diz que não se sentiu “querido” na segunda passagem pelo Benfica e admite que nunca mais falou com Sérgio Conceição

O agora treinador do Fenerbahçe deu uma longa entrevista ao canal 11, em que lamentou a perda de contacto com o amigo Sérgio Conceição, após uma discussão entre ambos durante um clássico em janeiro de 2021. Jesus elogiou Rui Costa, considerou que “o Benfica tem tudo para voltar a ser campeão” e revelou ainda que gosta das características de Taremi

Expresso

dia images/Getty

Partilhar

Jorge Jesus garantiu que a sua saída do Benfica, em dezembro, não aconteceu devido a problemas pessoais com qualquer jogador. “Quiseram crucificar o Pizzi, mas nada disso é verdade. Há sempre situações entre jogadores e treinadores, acontece em todas as equipas em que trabalhei, mas resolvem-se com facilidade”, disse o amadorense, acrescentando: “Foi uma tomada de decisão minha, não fiz nada que não tivesse já feito noutros clubes”.

Todavia, em entrevista ao canal 11, Jesus admitiu que não se sentiu “querido" na segunda passagem pela Luz. “O que sou na Europa devo-o aos [primeiros] seis anos no Benfica, senti sempre que era querido mas penso que não voltei no momento certo ao Benfica, com a pandemia que era novidade em todo o mundo. Não estou nada arrependido, não saio magoado nem triste, zero. Sempre tive bom relacionamento com jogadores, ao contrário do que disseram”, esclareceu o técnico.

Jesus deixou elogios a Rui Costa, que considera ser “o presidente certo para o Benfica”. O ex-treinador do clube da Luz comentou também a contratação do alemão Roger Schmidt: “Traz ideias diferentes, (…) tem mais conhecimento de alguns jogadores estrangeiros do que qualquer técnico português. (…) Não conheço como trabalha, apenas pelas vezes em que o defrontei”.

Noutros campos, o homem que orienta agora o Fenerbahçe lamenta que, depois de uma discussão acesa com Sérgio Conceição, no clássico entre FC Porto e Benfica de 15 de janeiro de 2021, os dois treinadores nunca mais tenham falado. O técnico admitiu: “Sempre tivemos uma boa relação, mas nunca mais falei com ele. Custou-me. A minha relação com o Sérgio não era desportiva; era uma relação forte, mesmo de grandes amigos”. Apesar do afastamento, o veterano mostrou-se “feliz com o sucesso” de Conceição no Dragão.

Na mesma conversa, Jorge Jesus aceitou comentar vários jogadores que estão ou estiveram em Portugal. Sobre o craque que o técnico quereria ter no seu plantel, não houve hesitações: “Ia buscar o Darwin. Não tenho dúvidas”. Logo a seguir, Jesus deixou elogios aos atletas que atuam no nosso país: “O campeonato português tem excelentes jogadores. (…) Não quero ferir suscetibilidades, porque os três grandes de Portugal têm jogadores de nível muito alto. Por alguma razão, as melhores equipas da Europa vão buscar jogadores a Portugal. Não quero destacar ninguém, até porque estive no Benfica”.

No entanto, o técnico acabou por abordar o alegado interesse do Fenerbahçe em Taremi, o avançado iraniano do FC Porto. “Gosto muito das características do Taremi, mas, para aquela posição, tenho quatro jogadores, por isso essa possibilidade não se coloca”. Também William Carvalho chegou a ser falado, tanto na fase Benfica como mais recentemente. No caso do internacional português, Jesus admite: “Era uma das minhas opções, porque queria um médio defensivo. O William ficou mais difícil e acabámos por contratar o Arão, que também já conhecia [do Flamengo]”.