Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Depois de um início tremido e cheio de críticas no Liverpool, Darwin respondeu com um póquer: “Foi a noite perfeita para ele”, diz Klopp

Avançado ex-Benfica marcou quatro dos cinco golos com que o Liverpool bateu o RB Leipzig em encontro de preparação para a nova época. O treinador dos reds admitiu a ansiedade do uruguaio e diz que a exibição na Alemanha foi "obviamente a melhor forma de acabar" com as dúvidas sobre o jogador

Carlos Luís Ramalhão

picture alliance/Getty

Partilhar

Após algumas exibições tremidas, com a pressão dos números e o peso da camisola do Liverpool a ter um claro efeito sobre o jogador, Darwin Nuñez assinou o seu primeiro póquer ao serviço dos reds e ajudou a esmagar os fantasmas e o RB Leipzig por 5-0. Aparentemente, Inglaterra rendeu-se. Os colegas de equipa do ex-Benfica fizeram questão de o homenagear no final do jogo que decorreu na Red Bull Arena, na Alemanha.

Darwin Nuñez marcou quatro dos cinco golos com que o visitante Liverpool agradeceu a hospitalidade dos alemães. Como diz o “The Athletic”, “o resultado pode ser irrelevante, mas a injeção de autoconfiança em Nuñez pode vir a ser preciosa para Jürgen Klopp”. O início da Premier League está a duas semanas de caminho, frente ao Fulham, de Marco Silva.

O treinador do Liverpool tinha pedido aos adeptos que não se centrassem nos números, depois de o gigante inglês ter pago 75 milhões de euros ao Benfica pelos serviços do internacional uruguaio. Mas os olhos estavam – e estão – postos em cada movimento de Darwin em campo, especialmente depois da saída de Sadio Mané, ídolo e, ao lado de Mohamed Salah, chave das defesas contrárias.

Com a habitual frontalidade, Klopp insinuou que Nuñez estava a ser afetado por algumas das críticas recebidas nas redes sociais, após as exibições menos conseguidas frente ao Manchester United e ao Crystal Palace, na tournée asiática. Numa palavra – tornada famosa noutros contextos, por cá – o ex-avançado do Benfica tweetou a sua força. “Resiliência”, escreveu Darwin. Talvez previsse o que veio a passar-se em Leipzig.

“Achamos sempre que, se pagamos muito dinheiro, os jogadores não sentem pressão. Eles são seres humanos completamente normais e, se o primeiro toque não é perfeito...”, disse Jürgen Klopp. “Esta geração de jogadores consulta as redes sociais, o que não é inteligente, mas eles fazem-no. De repente, ficas ansioso”, explicou o alemão, prosseguindo: “Esta é obviamente a melhor forma de acabar com estas discussões. Ele é um avançado diferente dos que temos ou tínhamos, mas é muito bom”.

De acordo com o “The Athletic”, a entrada de Nuñez, após o intervalo, deu uma nova dimensão ao Liverpool. O primeiro golo foi uma oferta do companheiro Salah, um penálti que resultou de uma falta sobre o ex-portista Luis Díaz. Klopp brincou: “Não sei se há uma cláusula no novo contrato do Mo [Salah] para ser generoso, mas ele deu o penálti ao Darwin. Então a caixa abriu-se e foi a noite perfeita para ele [Nuñez]”, acrescentou o treinador do Liverpool.