Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Alô, Flamengo? Presidente da federação polaca anuncia rescisão do contrato de Paulo Sousa

De acordo com Cezary Kulesza, o presidente da federação, Paulo Sousa vai pagar uma "indemnização de acordo com as expectativas" daquela entidade. Treinador português tem caminho aberto para assinar pelo Flamengo

Tribuna Expresso

Quality Sport Images

Partilhar

O presidente da federação polaca de futebol anunciou esta tarde a rescisão do contrato com Paulo Sousa, que tem agora caminho aberto para assinar finalmente pelo Flamengo.

Num tweet, Cezary Kulesza escreveu o seguinte: “O Conselho de Administração da federação polaca de futebol (PZPN) decidiu por unanimidade rescindir o contrato com Paulo Sousa. Como parte do acordo, o ex-selecionador pagará a indemnização à PZPN de acordo com as expectativas da federação”.

Este anúncio surge três dias depois do pedido do português. No domingo, também no Twitter, Kulesza demonstrou a sua indignação: "Fui informado pelo Paulo Sousa de que queria rescindir o contrato por causa da oferta de um clube. Trata-se de um comportamento extremamente irresponsável, inconsistente com as declarações anteriores do treinador. Portanto, recusei firmemente".

Na ressaca desta história também Zbigniew Boniek, antiga lenda do futebol polaco e ex-presidente da federação polaca, também demonstrou o seu desagrado. "Sinto-me estranho com esta situação. Fiz dele selecionador nacional. (…) A tarefa dele era apurar-nos para o play-off, algo que conseguiu. (…) Tenho de dizer que estou incrivelmente enojado”, admitiu o ex-futebolista da Juventus, tal como Paulo Sousa.

Do Jamor para o Maracanã

O treinador português começou a carreira nos sub-16 de Portugal. Depois, mudou-se para o Reino Unido, onde treinou o Queens Park Rangers, Swansea City e Leicester City. No Videoton, da Hungria, começou a disputar títulos, algo que aconteceu definitivamente no Maccabi Tel Aviv, do Israel, e Basileia, da Suíça.

Em 2015, o ex-médio que atuou na Juventus mudou-se para um histórico rival, a Fiorentina, onde apresentou futebol de alto gabarito e terminou nas 5ª e 8ª posições. A caminhada internacional prosseguiu depois na China e França, ao serviço do Tianjin Quanjian e Bordéus.

A herança que recebe do Flamengo, que era treinado por Renato Gaúcho, é interessante: o mengão foi vice-campeão do Brasileirão e finalista vencido da final da Copa Libertadores, conquistada pelo segundo ano consecutivo pelo Palmeiras de Abel Ferreira.