Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

Federação polaca recusa pedido de Paulo Sousa para rescindir contrato: “É um comportamento extremamente irresponsável”

“Hoje fui informado pelo Paulo Sousa que queria rescindir o contrato com a federação polaca por causa de uma oferta de um clube. Este é um comportamento extremamente irresponsável, inconsistente com as declarações anteriores do treinador. Portanto, recusei firmemente”, pode ler-se na conta do presidente da federação, Cezary Kulesza, no Twitter

Lusa

SOPA Images

Partilhar

O presidente da Federação Polaca de Futebol, Cezary Kulesza, afirmou que este domingo recebeu um pedido do português Paulo Sousa para rescindir o contrato de selecionador devido a uma oferta de um clube, algo que foi “recusado firmemente”.

“Hoje fui informado pelo Paulo Sousa que queria rescindir o contrato com a federação polaca por causa de uma oferta de um clube. Este é um comportamento extremamente irresponsável, inconsistente com as declarações anteriores do treinador. Portanto, recusei firmemente”, refere o presidente numa mensagem na sua conta pessoal do Twitter, que foi partilhada pela federação.

Segundo vários meios de comunicação social divulgaram hoje, o técnico português, de 51 anos, terá chegado a acordo para suceder a Renato Gaúcho nos brasileiros do Flamengo.

Paulo Sousa, que iniciou a carreira nos escalões de formação da seleção portuguesa, assumiu em janeiro deste ano a seleção polaca, depois de já ter treinado vários clubes mundiais.

Ao serviço da seleção polaca, o técnico foi eliminado ainda na fase de grupos do Euro2020, disputado em 2021 devido à pandemia de covid-19, e terminou o apuramento para o Mundial2022 em segundo no grupo I, atrás da Inglaterra, disputando agora o ‘play off’ frente à Rússia, cujo vencedor vai enfrentar a Suécia ou República Checa por um lugar no Qatar.

O ex-futebolista, que tem 50 internacionalizações por Portugal, treinou também Queens Park Rangers e Leicester, de Inglaterra, Swansea, do País de Gales, Videoton, da Hungria, Maccabi Telavive, de Israel, Basileia, da Suíça, Fiorentina, de Itália, Tianjin Quanjian, da China, e Bordéus, de França.

Paulo Sousa sagrou-se campeão suíço na época 2014/15, pelo Basileia, campeão e vencedor da Taça de Israel em 2013/14, pelo Maccabi Telavive, tendo ainda conquistado a Taça da Liga (2011/12) e a Supertaça da Hungria (2011/12 e 2012/13), pelo Videoton.