Tribuna Expresso

Perfil

Futebol internacional

O apelo de Klopp à vacinação, uma questão de “solidariedade e lealdade”: “Oiçam os especialistas. Ignorem as mentiras e a desinformação”

Numa altura em que diversos surtos de covid-19 têm levado ao adiamento de partidas da Premier League, o treinador do Liverpool, que na quinta-feira viu três dos seus jogadores testarem positivo antes do triunfo (3-1) dos reds perante o Newcastle, realçou o papel da vacinação: "Pessoas mais inteligentes do que eu alguma vez serei vieram ao resgate da sociedade criando isto para o mundo. Neste país e em toda a Europa, somos abençoados por termos este acesso incrível às vacinas"

Pedro Barata

Nick Potts - PA Images/Getty

Partilhar

O aumento dos casos de covid-19 envolvendo equipas de futebol tem sido um dos temas do momento em Inglaterra. Nos últimos dias, foram já nove partidas da Premier League adiadas devido a surtos em diferentes equipas: Brighton - Tottenham, Burnley - Watford, Brentford - Manchester United e Leicester - Tottenham, que já se deveriam ter realizado, bem como outros cinco embate que se deveriam jogar no próximo fim de semana.

O Brentford, o Watford e o Leicester têm, de momento, os respetivos centros de treinos fechados para tentar quebrar a "cadeia de contágio". Entre receios de que o tradicional boxing day - a jornada que se realiza a 26 de dezembro - possa não ser disputado, Marcelo Bielsa, técnico do Leeds, veio a público dizer que "não gostaria de jogar contra uma equipa enfraquecida devido à covid", garantindo que não se sentiria bem por "obter uma vantagem assim".

Também o treinador do Chelsea, Thomas Tuchel, revelou na quinta-feira que Romelu Lukaku, Timo Werner, Callum Hudson-Odoi e Ben Chilwell testaram positivo, desfalcando os campeões da Europa no empate (1-1) contra o Everton.

Ora, perante esta incerteza, o treinador do Liverpool, Jürgen Klopp, tem-se assumido como uma das vozes mais ativas na defesa da importância da vacinação. O treinador alemão viu ontem três dos seus jogadores - Van Dijk, Curtis Jones e Fabinho - testarem positivo ao SARS-CoV-2, horas antes do triunfo dos reds, por 3-1, contra o Newcastle, no qual Diogo Jota fez mais um golo.

Na conferência de imprensa de antevisão da partida, Klopp assegurou "apoiar completamente novas medidas" para tentar "travar a propagação do vírus", considerando que "ser testado todos os dias e antes dos jogos é algo absolutamente normal". O germânico explicou que, no Liverpool, todas as pessoas que entram no centro de treinos são testadas à entrada, tendo de esperar no carro pelo resultado da análise para entrar no complexo.

No que se refere à vacinação, Klopp descreveu-a como "uma questão de solidariedade, lealdade e união". No habitual texto que assina no programa de jogo das partidas em Anfield Road, o técnico reforçou esta visão: "Não pedirei desculpas pela minha visão sobre a vacinação, não importa o quão impopular ela me possa fazer ser em certos sectores da sociedade. Oiçam os especialistas. Ignorem os que fingem saber. Ignorem as mentiras e a desinformação. Oiçam quem sabe. Se o fizerem, acabarão por querer a vacina e o reforço", escreveu Klopp.

Ainda no seu texto, Klopp contradiz aqueles que defendem que os profissionais do futebol não devem opinar sobre outras áreas: "O insulto de 'limita-te ao futebol' falha completamente no essencial. Sim, eu sei sobre futebol por ter passado toda a minha vida no jogo. E a minha visão sobre a vacinação não é da minha imaginação. Este é o ponto - eu oiço os especialistas. Pessoas mais inteligentes do que eu alguma vez serei vieram ao resgate da sociedade criando isto para o mundo. Neste país e em toda a Europa, somos abençoados por termos este acesso incrível às vacinas", opinou o alemão.

Klopp, que não pede que o oiçam a ele, mas sim que "oiçam quem sabe", assegurou que o Liverpool tem uma elevada percentagem de vacinação" no clube - "quase toda a gente está vacinada e à espera da dose de reforço" - e revelou que recebeu "a vacina de reforço mal esteve elegível" para esta.

Na conferência de imprensa posterior à partida contra o Newcastle, o germânico voltou a reforçar a importância da inoculação, desta feita referindo que, graças às vacinas, há "boas hipóteses de passar o vírus sem ter grandes sintomas", que é o que tem acontecido aos três jogadores do Liverpool que mais recentemente testaram positivo.

Entretanto, a English Football League, entidade que gere as segunda (Championship), terceira (League One) e quarta (League Two) divisões do jogo em Inglaterra - as três categorias profissionais além da Premier League -, revelou dados oficiais sobre a vacinação dos jogadores das equipas que compõem as referidas ligas.

Segundo a English Football League, "um quarto" dos futebolistas continua por inocular, "recusando-se a tomar a vacina". Somente 59% dos futebolistas do Championship, League One e League Two estão completamente vacinados.