Tribuna Expresso

Perfil

Expresso

O Barcelona vai retirar os passes anuais aos sócios que não assistam aos jogos em Camp Nou

No caso de não utilizarem os bilhetes comprados em pelo menos 10 jogos no estádio do Barcelona, os sócios do clube catalão vê-los-ão ser-lhes retirados e novamente vendidos. A regra entrará em vigor na temporada 22/23 e as sanções serão aplicadas na época seguinte. Serão também usados bilhetes com o nome do titular para evitar embaraços como os do jogo com o Eintracht para a Liga Europa

Expresso

Alex Caparros - UEFA/Getty

Partilhar

Preocupada com a situação vivida a 14 de abril, quando mais de 30 mil adeptos do Eintracht Frankfurt preencheram o mítico Camp Nou e viram a sua equipa eliminar o Barcelona, a direção do clube catalão decidiu retirar o direito de uso dos passes anuais aos sócios que não assistam a um mínimo de 10 jogos no estádio ao longo de uma época.

Os dirigentes do Barça anunciaram esta quarta-feira uma série de medidas, além da já referida, que pretendem resolver o problema dos passes cedidos a outros adeptos. Maria Elena Fort, vice-presidente da administração, anunciou: “Não estamos a castigar ninguém. Apenas queremos que os nossos sócios venham ao estádio”.

A partir da próxima época, o clube pode comercializar os lugares dos sócios sempre que estes não estejam presentes nos jogos em casa, num mínimo de dez partidas. Isso acontecerá também se os adeptos não utilizarem o “Seient Lliure”, o sistema de libertação dos lugares em que os sócios recebem uma percentagem da venda das entradas.

Se não for ao estádio pelo menos 10 vezes, o associado deve avisar o clube pelo menos 72 horas antes de um jogo, caso pretenda recuperar o lugar no Camp Nou. Para o Palau Blaugrana, pavilhão do Barcelona, o número mínimo de encontros é reduzido para seis.

A medida dura destina-se a punir os sócios que não assistem nem cedam ou libertem os seus lugares nos jogos em casa da época que começa em agosto. De acordo com o clube, o número de sócios que pagam o passe anual, mas não o utilizam durante todo o ano, oscila entre 2.500 e 3.000 por temporada.

Além disso, o Barcelona vai começar a rastrear tanto os passes, que poderão ser digitais e acessíveis através de uma aplicação de telemóvel, como os bilhetes, que terão o nome do portador em todas as competições e serão controlados “de forma aleatória”.

“Pedimos paciência aos sócios [em relação a previsíveis problemas no acesso ao estádio]. Não queremos repetir situações como a vivida ante o Eintracht. Talvez os adeptos tenham de vir mais cedo para o Camp Nou, mas entendemos que estas medidas são necessárias”, afirmou Maria Elena Fort.