Tribuna Expresso

Perfil

Benfica

Roger Schmidt, a três vitórias do recorde de Eriksson: “O que interessa é ganhar o próximo jogo e respeitar cada adversário”

O treinador do Benfica, em antevisão ao jogo com o Marítimo, no domingo (18h, BTV), falou do ataque à família de Sérgio Conceição e da marca, com quase 40 anos e fixada por Sven-Göran Eriksson, que está perto de igualar

Expresso

Nicolò Campo/Getty

Partilhar

O jogo com o Marítimo

“Estamos muito concentrados. Vamos jogar com uma equipa que ainda não tem pontos, mas que é sempre perigosa. É importante não subestimar o adversário. Penso que perderam quatro dos jogos com um golo de diferença, apenas frente a Sp. Braga e FC Porto sofreram mais. Contra o FC Porto ficou 1-5, mas não foi esse o jogo que se viu. Respeitamos o adversário, sabemos que vão dar tudo amanhã. Estou há uns meses em Portugal e sei que todas as equipas jogam com muita coragem no nosso estádio, não têm nada a perder. Estamos tão bem preparados quanto possível, vamos tentar ganhar este último jogo antes das seleções.”

Vai mexer no onze?

“Talvez façamos algumas alterações, mas isso decido só amanhã [domingo]. Queremos ver como estão os jogadores, tanto os que têm jogado mais como os outros. Temos três dias entre os jogos, dois dias são sempre mais complicados. Assim eles conseguem recuperar completamente. Quanto às seleções, penso que é bom. Temos jogado muito, começámos as pré-eliminatória da Champions muito cedo, jogamos praticamente de três em três dias, fazemos isso há várias semanas. Agora estamos concentrados no jogo de amanhã e depois vamos descansar.”

A três vitórias das 15 seguidas de Eriksson

Focamo-nos sempre no próximo jogo e em prepararmo-nos para ele o melhor possível. Mais do que estar preocupado com recordes, o que interessa é ganhar o próximo jogo e ter a atitude de respeitar cada adversário. Estamos muito focados no Marítimo e tudo o resto virá depois.”

O ataque ao carro da família de Sérgio Conceição

“É completamente inaceitável qualquer tipo de agressão, de violência. É inaceitável, contra qualquer treinador, qualquer adepto, contra qualquer ser humano. É completamente inaceitável e espero que encontrem as pessoas que o fizeram e que as punam da forma certa.”

E o caso da criança que despiu a camisola no Famalicão-Benfica (e a fotografia)

“Com certeza, não é aceitável, penso que é um rapaz jovem e tirar a camisola no estádio penso que não é bom, também não é necessário. Mas penso que isso depende da regra, penso que há uma regra em que não podem vestir a camisola em determinadas zonas do estádio, mas temos de pensar sobre a regra. Não é bom para os adeptos, para o futebol e, em especial, para as crianças.

Para ser honesto, eu gosto da fotografia. Antes, eu estava um pouco tenso, se seria uma boa ideia, mas depois quando vi a fotografia (risos), estava uma boa fotografia, uma boa declaração por parte dos nossos jogadores e mostra o quão ligados eles estão aos nossos adeptos, apoiam-nos muito e os jogadores tentam dar tudo para mostrar aos adeptos que devem ter orgulho em vestir a camisola do Benfica. É uma boa mensagem e eu gosto da fotografia.”